O cerco se fechou para o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva. A força-tarefa da Operação Lava Jato apresentou à imprensa, dados de todas as investigações sobre o esquema criminoso de #Corrupção que se estendeu sobre a Petrobras e que acarretou desvios bilionários na maior empresa estatal brasileira. A entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (14) também apresentou provas e denúncias a mais seis pessoas envolvidas na corrupção da Petrobras, entre eles, a ex-primeira dama Marisa Letícia e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto.

O conjunto de provas foi delineado a partir de gráficos pelo procurador do Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol.

Publicidade
Publicidade

As cinco pessoas envolvidas que sofrem denúncia, além do ex-presidente Lula, responderão pela prática de crimes em relação ao caso do Tríplex, do Condomínio Solaris, no Guarujá, litoral do estado de São Paulo. Segundo o procurador Dallagnol, que é o coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal na Lava-Jato, "Lula é o comandante máximo dos crimes ocorridos na Petrobras", afirmou enfaticamente. O procurador ainda foi mais longe ao afirmar que "Lula era o grande general que comandou a prática de crimes que se estabeleceram na estatal, além da coordenação do funcionamento e até mesmo, a paralisação, se quisesse, do esquema criminoso", disse Dallagnol, de modo contundente.

Propinocracia na Petrobras

O procurador Deltan Dallagnol utilizou o termo "propinocracia", para delinear todas as informações oriundas das investigações sobre a corrupção na Petrobras.

Publicidade

De acordo com a Lava-Jato, Lula se utilizou do governo federal, através da propinocracia. Segundo Dallagnol, "no ápice da pirâmide, havia um núcleo político e no centro do núcleo político, está o ex-presidente Lula", afirmou. O gráfico apresentado pelo procurador da #Lava Jato, demonstra que o ex-mandatário do país, tinha o poder de distribuir cargos, já que ele estava no topo da pirâmide do poder, no período que foi esquematizado  todo o sistema de propinas instalado na Petrobras.