Sem rodeios. Foi dessa forma que Delcídio do Amaral resolveu revelar todas as artimanhas de Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o ex-senador, o petista, era o mentor das operações fraudulentas que ocorriam dentro da Petrobras. Delcídio, desta vez, delatou todos os detalhes e como eram realizadas as piores tramoias que, consequentemente, representavam desfalques exorbitantes aos cofres públicos.

Entenda rapidamente como aconteceu

Desde março de 2015, em uma das publicações realizadas pela revista "Veja", foi confirmado, por Delcídio do Amaral, em delação premiada, que o ex-presidente #Lula, seria o chefe responsável por toda a movimentação financeira, ou melhor, as vantagens indevidas (propinas) realizadas nas dependências da Petrobras. 

Entretanto, o ex-senador não se intimidou e continuou sustentando a versão de que Lula estava totalmente inserido nas fraudes, tanto que, participou dos vários desvios milionários que, naturalmente, contribuíram para o descrédito da Estatal. 

Segundo a "Exame", o ex-senador confirmou toda a publicação que outrora havia revelado, inclusive, estampou em seu novo depoimento os detalhes mais sórdidos que evidenciaram o comprometimento do ex-presidente ao esquema de #Corrupção.

Publicidade
Publicidade

Pelo tempo em que Delcídio esteve na sede das investigações da #Lava Jato, ou seja, os dois dias que ficou disponível às perguntas formuladas pela equipe de investigação da Polícia Federal, acredita-se que, a sua colaboração tenha possibilitado esclarecer novos pormenores, que ainda estivessem suprimidos nas investigações.

Outro fato expressivo que concorre para a apuração, foi com relação à intimidade que o ex-presidente apresentava com os integrantes do Congresso Nacional. Segundo Delcídio, Lula, apesar de não ser parte entre os senadores, tinha ciência de todas as informações privilegiadas, as quais eram deliberadas pelo plenário do Senado Federal. Além disso, o ex-presidente tinha como certo o apoio político necessário naquela Casa. Os favores eram basicamente 'uma mão lava a outra', ou seja, Lula permitia que as indicações enviadas pelos parlamentares fossem aproveitadas em cargos de diretorias no governo petista.

Publicidade