Nesta quinta-feira, 15, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), deu um depoimento para centenas de militantes na sede da legenda, em São Paulo. Muito emocionado e chorando diversas vezes, o companheiro da ex-presidente Dilma Rousseff comentou pela primeira vez a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra ele nesta quarta-feira, 14. De acordo com procuradores da entidade, o ex-líder sindical é o maestro que ajudou a manter a propinocracia no governo federal e roubar a maior estatal brasileira, a Petrobras, no escândalo conhecido como '#Petrolão'. Essa é a primeira vez que #Lula é acusado oficialmente de corrupção na #Lava Jato

De acordo com o ex-presidente, ele é a pessoa mais honesta do país, está com todas as contas em dia e que sempre colaborou com a Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

"Só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo", declarou ele. Em outro momento, o petista ironizou o fato do Ministério Público ter dito que ele ficou rico ilicitamente e disse que se depender de sua riqueza, ele irá a pé para a cadeia, já que existe, segundo Lula, um movimento para impedir que ele seja novamente candidato à presidência da república em 2018. 

Para o político chegou a hora da justiça brasileira se redimir com ele, pois não haveria provas concretas contra sua pessoa. Lula diz que já pediu desculpas várias vezes, e que aceitaria desculpas se pedissem a ele. Ele volta a pedir que respeitem sua família  "A desgraça de quem conta a primeira mentira é que é obrigado a passar a vida mentira. Eles inventaram que eu tinha coisas que não tenho", continuou ele que ainda pediu respeito à sua esposa, Marisa Letícia. 

A ex-primeira-dama, assim como o ex-presidente e outras seis pessoas são denunciados na Lava Jato.

Publicidade

Durante a fala que durou mais de uma hora, o político teve dificuldade de se expressar, já que sua voz falhou. Rapidamente, o discurso dele virou piada nas redes sociais. Para que a denúncia contra Lula vire algo mais concreto, ela ainda precisa ser aceita pelo juiz federal Sérgio Moro.