Nesta semana, o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva convocou o presidente do Senado Federal Renan Calheiros (PMDB-AL) para atuar como testemunha de defesa no processo em que se tornou réu. O petista responde pela tentativa de obstrução da Justiça na 10.ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Além de Renan, o petista arrolou mais 12 testemunhas para sua defesa.

Entenda o que aconteceu

Lula da Silva foi citado diversas vezes por delatores, inclusive ex-aliados do Partido dos Trabalhadores (PT), os quais acordaram com a Justiça e revelaram detalhes sobre os líderes e as tramoias realizadas no esquema de #Corrupção.

Lula foi acusado de participar das fraudes ocorridas dentro da Petrobrás e da tentativa desesperada de frear a #Lava Jato, operação que investiga o maior esquema de desvios e recebimentos de vantagens indevidas (propinas).

Publicidade
Publicidade

Segundo informações publicadas pelo site de notícias "MSN", as suspeitas contra o petista ganharam destaque após a trama para comprar o silêncio do ex-presidente da diretoria internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró.

Após a confirmação da homologação do acordo de delação premiada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Lula ficou sabendo da possibilidade de Cerveró revelar os episódios ocorridos na Petrobrás e ofereceu ao ex-diretor uma espécie de 'cala boca', expressão utilizada para silenciar, ou seja, impedir que a pessoa fale algo que possa comprometer os aliados ou integrantes da quadrilha.

Logo em seguida, o ex-líder petista, o senador cassado Delcídio do Amaral esteve com advogado e filho de Nestor para os ajustes quanto aos valores que seriam disponibilizados à família de Cerveró. Sem nada perceber, toda a conversa foi gravada e o áudio foi entregue ao Ministério Público o que evidenciou a atuação ilícita de Delcídio.

Publicidade

Imediatamente um mandado de prisão foi expedido pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução da Operação, para o ex-senador da república. Após alguns meses de prisão, o próprio ex-líder petista também resolveu incriminar Lula, confirmando todo o relato anterior de Cerveró. Diante de todas as acusações, o ex-presidente se tornou réu junto com mais seis acusados, os quais foram denunciados pelo Ministério Público e respondem pelo crime de tentativa de obstruir a Justiça.

Por fim, o petista listou parte de suas testemunhas que devem ser notificadas nos próximos dias para defendê-lo. Além do Senador José Renan Vasconcelos Calheiros, estão na lista dos nomes elencados pelos advogados de Lula a Deputada Federal Jandira Feghali, o Deputado Federal petista Luiz Paulo Teixeira Ferreira, a Senadora Vanessa Grazziotin e o Administrador do Instituto Lula Paulo Tarcísio Okamotto, entre outros.