No dia seguinte após ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu se manifestar a respeito das acusações feitas que acusam o petista de #Corrupção e lavagem de dinheiro. Inconformado com o que vem passando, o ex-presidente chegou a desafiar a todos os procuradores, que consigam qualquer prova contra ele, mostrando que de fato houve corrupção e foi além, prometendo que, se fossem capaz de realmente provar algo, ele não só se entregaria à Justiça, como faria questão de ir caminhando até a prisão, em Curitiba.

Só que antes do discurso inflamado, #Lula se comparou a Jesus Cristo e afirmou que somente o filho de Deus tem mais popularidade que ele no Brasil. Nesta quinta-feira (15), Lula disse que sua história de vida é conhecida por todos e que hoje ele fala como um "cidadão indignado" e completou: "Só ganha de mim no Brasil, Jesus Cristo!"

O ex-presidente não poupou críticas às denúncias que foram feitas contra ele na última quarta-feira (14) e classificou a apresentação do Ministério Público como "pirotecnia".

Publicidade
Publicidade

Apesar de bastante exaltado em seu discurso, o petista garantiu que não vai repetir o "show de pirotecnia". O pronunciamento de Lula aconteceu logo após o Diretório Nacional do PT ter se reunido em São Paulo. Os integrantes se encontraram em um hotel da capital paulista e muitos saudaram o ex-presidente em sua chegada gritando: "Lula, guerreiro do povo brasileiro".

Lula fez questão de falar em seu favor, enquanto atrás dele eram vistas bandeiras do PT e também do Brasil, que agora estão mais presentes em suas aparições. Entre os presentes que foram levar seu apoio estavam vários políticos, entre eles o senador petista Humberto Costa, além de Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e outros. O ex-deputado Devanir Ribeiro, que é um antigo aliado de Lula, também fez questão de comparecer ao encontro.

Publicidade

O ex-ministro Jaques Wagner também esteve presente para mostrar que o partido está unido.

Lula foi acusado de ser o "comandante máximo do esquema de corrupção descoberto pela Operação #Lava Jato".