O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva foi convidado para estar em um comício em Campinas, São Paulo. Os organizadores pretendiam lotar o local com a presença de Lula. O horário foi marcado para às quatro horas da tarde. Era um ato de campanha para aumentar o número de votos do candidato do Partido dos Trabalhadores (#PT), Márcio Poshmann que está concorrendo à prefeitura de Campinas.

Porém, poucas pessoas apareceram no evento, menos de mil e isso causou uma revolta no ex-presidente Lula. Lula criticou os organizadores e disse que o horário do comício tem que ser igual horário de missa. Para o petista, é absurdo marcarem às quatro horas da tarde. 

O comício foi realizado nesta quarta-feira (28) e foi uma grande lástima para os organizadores.

Publicidade
Publicidade

Com a presença de Lula, era esperado um local cheio e vibrante, mas nada disso aconteceu.

Poshmann

Márcio Poshmann é professor da Unicamp e sempre foi um grande defensor do PT. Ele não aparece muito bem nas pesquisas, está em terceiro lugar, e bem distante do primeiro colocado, Jonas Donizete (PSB). Enquanto Donizete tem 49% das intenções de voto, o candidato petista aparece com 10%. Hélio de Oliveira Santos do PDT está com 12%.

Trazer Lula seria uma tentativa de "alavancar" e encostar em Donizete, mas se depender deste comício, o resultado poderá ser um fracasso.

Cenário diferente

Há quatro anos, o PT impediu na Justiça que Donizete usasse a imagem da ex-presidente #Dilma Rousseff em sua campanha. Hoje, porém o cenário é bem diferente, Donizete critica Dilma e não quer em nenhum momento ela como um exemplo.

Publicidade

Nem mesmo o candidato do PT cita a ex-presidente em sua campanha.

Poshmann disse que as acusações de que ele está se afastando de Dilma não são verdade. "Temos feito uma campanha mais voltada com a militância", disse o candidato.

O adversário do petista, que está em primeiro nas pesquisas e é o atual prefeito de Campinas, tem vários aliados para essa eleição. Além do apoio de 23 partidos, tem muitos que participaram da história do PT e agora querem distância do partido.