Michel Temer participou do Exame Fórum 2016 nessa sexta-feira, 30, oportunidade em que fez um discurso esclarecedor sobre os perigos de se retardar as reformas que o país carece, bem como deixou claro que o Brasil passa pela pior crise de sua história.

Embora muitos apoiadores do antigo governo federal, sobretudo parlamentares, tenham o costume de culpar Temer pelos últimos dados sobre o desemprego, o presidente deixou claro que não é sua culpa, uma vez que a #Crise econômica foi herdada do governo da ex-presidente, Dilma Rousseff.

Para se ter uma ideia da grandiosidade da crise nacional que o governo de Temer herdou, o país está, atualmente, com uma dívida de 185 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Para Michel, o motivo dessa crise é totalmente fiscal e interno, onde os estados se endividaram muito além de suas capacidades, o que gerou o desemprego e a recessão.

O presidente também defendeu que o maior direito social do brasileiro é o emprego e irá investir em políticas que possam resgatar, pouco a pouco, a credibilidade da #Economia nacional, o que irá gerar empregos. Entretanto, a maior parte das mudanças precisam do apoio do Congresso Nacional.

Temer também falou sobre as reformas e sua necessidade, deixando claro que se não forem realizadas o quanto antes, o país não terá mais recursos para pagar os benefícios dos milhões de aposentados e pensionistas do Brasil, tão pouco alguém conseguira se aposentar no futuro, devido a gigantesca crise econômica.

Quanto a reforma da previdência, o presidente afirma que irá realizá-la em conjunto com a sociedade, deixando todos cientes do contexto da mesma, bem como consultando a aceitação das regras.

Publicidade

Por conta do excesso de notícias falsas sobre o corte de benefícios e direitos, o governo contratou um porta-voz no setor de comunicação e as notícias oficiais sobre o governo e seus programas, propostas e procedimentos, serão sempre divulgados no site oficial do governo federal e só depois, repercutida para a imprensa em geral, salvo no caso de discursos e entrevistas coletivas.

Após uma “pesquisa” alegar que a popularidade de Temer está aumentando cada vez mais, o presidente demonstrou segurança ao afirmar que se ele ficar impopular, mas o Brasil crescer, já se sentirá muito satisfeito. #Michel Temer