Marcela ganhará um emprego no governo. A primeira dama do Brasil, mulher do presidente Michel Temer, do PMDB, cumprirá uma função social, ficando à frente do 'Criança Feliz', programa que tem o objetivo de melhorar o 'Bolsa Família', com ajuda médica à crianças carentes. "Ela virá para a área social. Vai trabalhar intensamente", chegou a dizer Temer em entrevista ao 'Fantástico'. O 'Criança Feliz' ficará a cargo do Ministério do Desenvolvimento Social e seu lançamento será feito daqui a menos de três semanas, já com Marcela à frente. O lançamento terá muita pompa e promete atender até quatro milhões de crianças no país. O foco do programa social são crianças entre zero e quatro anos, apenas de famílias que recebem o 'Bolsa Família'. 

De acordo com informações do jornal 'O Globo', Osmar Terra, idealizador do 'Criança Feliz' e Ministro da pasta que agora terá a ajuda de Marcela explicou que crianças de até mil dias seriam atendidas em casa todas as semanas.

Publicidade
Publicidade

Depois disso, até completar os quatro anos, as visitas seriam quinzenais. Essa é uma maneira de mantê-las saudáveis na fase mais complicada da infância, quando muitas doenças surgem sem ao menos os próprios pais perceberem, especialmente agora que a vida está muito agitada. 

"É mãe e tem todos os predicados para ajudar nesta área", disse um funcionário de Temer sobre o fato de Marcela ganhar um novo cargo no governo. O que não se sabe ainda é se a primeira-dama terá ou não um gabinete no Palácio do Planalto. Segundo interlocutores, a função da mulher de Temer não seria remunerada, por isso, chamá-la de emprego não seria o mais correto. Apesar disso, ela teria um orçamento razoável a seu dispor, afinal, para cuidar de quatro milhões de pessoas se precisa de outros muitos milhões de reais. 

O programa começará como piloto.

Publicidade

Inicialmente, dez cidades serão escolhidas. Em 2017, o orçamento previsto é de R$ 300 milhões. Esse valor já deve aumentar para R$ 800 milhões em 2018. A ideia é que o programa se estenda para os mais de 5 mil municípios do país.  #Michel Temer #PMDB