Um ministro do governo Michel Temer decidiu provocar as milhares de pessoas que estão pedindo novas eleições. Em postagem no twitter neste domingo, 4, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, #Geddel Vieira Lima, afirmou ser "gostoso" assumir um cargo sem ter recebido voto popular. O comentário foi feito pelo ministro após ser provocado por um outro internauta, que em tom de críticas questionou qual é a sensação de assumir um cargo executivo sem ter sido por meio de eleições, uma clara referência à ascensão de Temer à presidência e ao impeachment de Dilma Rousseff, vencedora das eleições presidenciais de 2014. Confira:

Alguns internautas ficaram revoltados com a mensagem, mas outros deram risada da situação.

Publicidade
Publicidade

Após o comentário controverso, Geddel justificou que não iria se irritar com quem estava tentando irritar ele. 

Entre as críticas que recebeu está a do internauta de apelido Turco. O usuário do Twitter enviou uma mensagem ao ministro em que dizia: "não conseguiu se eleger governador, não conseguiu se eleger senador, não conseguiria se eleger síndico de prédio, aí deu um golpe". Já Victor Lima apoiou o polêmico comentário. "Geddel é um homem. Quisera que todos os políticos tivessem coragem e posição, mesmo em discordâncias", opinou.

Histórico de polêmicas

Geddel Vieira Lima tem um histórico de bate-bocas nas redes sociais, onde chega a ofender seguidores. Antes da polêmica deste final de semana ele se envolveu em outras discussões em que foi grosseiro com cidadãos. Em junho, Geddel comentou, em referência à Lava Jato, que não temia a operação pois sabia "o que tinha feito no verão passado".

Publicidade

Um internauta aproveitou a deixa e provocou, perguntando o que ele tinha feito nas demais estações do ano. "Foi solidário com Eduardo Cunha?", cutucou. Geddel, sem meias palavras, respondeu que, neste período, ele se aqueceu na casa da mãe do internauta, uma resposta que muitos consideraram grosseira e machista. Agora Geddel diz que esta época de "cabeça-quente" já passou. "Esse tempo ficou para trás. Diferentemente dos petistas, reconheço meus erros", comentou neste domingo.