O agora ex-ministro, Fabio Medina Osório, demitido na última sexta-feira (09) e substituído por Grace Mendonça no comando da AGU (Advocacia Geral da União) fez uma declaração muito polêmica e extremamente comprometedora à revista Veja, envolvendo o presidente #Michel Temer e sua equipe de #Governo. Fabio Medina afirmou que o desejo de Michel Temer é o de “abafar” o andamento das investigações da Operação #Lava Jato e que não tem dúvidas de que sua demissão ocorreu por ter “contrariado interesses”. Ele também disse que Temer e sua equipe têm muito “receio” de qual rumo as investigações da maior operação de combate à corrupção do país possa chegar.

Publicidade
Publicidade

As declarações de Fabio Medina à revista Veja (edição que está circulando nesse sábado) possuem fundamento, pois uma reportagem publicada no jornal Folha de São Paulo na última quinta-feira (08) confirma que o ex-ministro “andava na contramão” dos interesses do governo peemedebista. Na matéria, é explicitado o motivo que resultou na demissão de Fábio Medina de seu cargo. O motivo da demissão teria sido o pedido que ele fez ao Supremo Tribunal Federal para que fossem enviados os inquéritos de políticos acusados de envolvimento na operação Lava Jato, para que fossem analisados pela AGU. A intenção do ex-ministro era de que fossem movidas ações pela AGU contra políticos, assim como foram feitas ações contra empreiteiras que eram suspeitas de envolvimento no esquema de corrupção do Petrolão.

Publicidade

Pedido de inquéritos teria sido feito sem informar cúpula do governo

O pedido de Fábio Medina Osório ao STF teria sido feito na surdina, sem o consentimento da cúpula do governo de Michel Temer. Cúpula que teve como representante principal no caso, o ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que se reuniu com Medina em seu gabinete um dia antes do anúncio da demissão ocorrer para tentar convencer Medina a pedir demissão de seu cargo. Como não houve acordo, no dia seguinte ao encontro foi anunciada a demissão do ministro.

Mesmo após a demissão, Fábio Medina Osório continua defendendo seu ideal, para ele, a Advocacia Geral da União tem a obrigação de buscar responsabilizar os agentes públicos que lesam os cofres federais.