Partidos de esquerda costumam pregar a divisão melhor da renda e o não uso de gastos desnecessários, como os luxuosos, especialmente quando esses partes de quem tem que dar o exemplo, como os governantes. Apesar do discurso, o Partido dos Trabalhadores (#PT) não quis saber de economizar durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. O site 'Diário do Poder', em matéria publicada nesta quinta-feira, 08, revelas as cifras milionárias gastas pela primeira mulher eleita à presidência e os valores impressionam. Apenas com os chamados cartões corporativos, Dilma gastou proporcionalmente 46,3% a mais que seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Entre 2003 e 2010, o ex-líder sindical gastou em média R$ 12,7 milhões por ano.

Publicidade
Publicidade

Já Dilma, que ficou no mandato entre 2011 e 2016  aumentou essa quantia consideravelmente, chegando a mais de R$ 18 milhões. O PT se defende e lembra que houve inflação nesse período e que é natural que haja um aumento. Segundo fontes da legenda, o que Dilma e Lula gastaram seriam valores equivalentes, caso os anteriores fossem atualizados para os números de agora. Em 5 anos e 5 meses, Dilma gastou R$ 95,9 milhões somente com cartões, enquanto Lula em 8 anos teve gastos de 102,3 milhões. Os dados impressionam porque teoricamente o ex-presidente viajava bem mais que Rousseff. São justamente nessas viagens que os presidentes costumam gastar, afinal, no Brasil, praticamente tudo já é bancado pela máquina pública. 

Desde 2003, os governos Lula e Dilma gastaram mais de R$ 670 milhões com cartões corporativos.

Publicidade

Nessa conta, entram os cartões usados também por assessores e Ministros. Os dados novamente são do 'Diário do Poder', que lembra que tanto dinheiro, infelizmente, acaba sendo bancado pelo povo brasileiro. A polêmica só aumenta porque 95% do que Rousseff compra não pode ser revelado, pois existe a alegação que dizer essa informação poderia provocar um dano à segurança nacional. Será que isso vai continuar valendo agora que ela não tem mais papel no governo? #Dilma Rousseff #Impeachment