Deborah Fabri, de 19 anos, participava do protesto contra o governo de #Michel Temer na noite desta quarta-feira (31), na Av. Paulista em São Paulo, quando foi atingida por uma bomba arremessada pela Polícia Militar. Infelizmente a jovem ficou cega do olho esquerdo. 

De acordo com o portal de notícias G1, aproximadamente vinte mil pessoas participaram da manifestação contra Temer, esses números foram dados pela Frente Brasil Popular e CUT, a PM não divulgou uma estimativa de número de pessoas.

Segundo os manifestantes e profissionais da imprensa que trabalhavam no local, a Polícia Militar usou de extrema truculência contra todos que participavam ou cobriam o protesto.

Publicidade
Publicidade

Mulher fica cega em protesto na Paulista

Segundo testemunhas Deborah foi ferida por uma bomba lançada pela Polícia Militar. Ela foi socorrida por populares que participavam da #Manifestação e levada para o Hospital da Clínicas, onde passou por exames. Depois a jovem foi encaminhada para o Hospital de Olhos, localizado no bairro Paraíso, de onde foi liberada no fina da manhã desta quinta-feira (1).

O Hospital de Olhos divulgou uma nota informando que Deborah Fabri chegou a unidade de saúde por volta 2h37 da manhã de 1º de Setembro de 2016. A jovem apresentava trauma na região da face, escoriações nas pálpebras, lesão na região malar esquerda e uma grave lesão perfuro contusa no olho esquerdo. Deborah precisou passar por uma cirurgia de emergência.

De acordo com o Doutor William Fidelix, diretor operacional do Hospital dos Olhos, a lesão foi bastante grave e as chances de recuperação da visão no olho esquerdo é quase nula.

Publicidade

Levante Popular da Juventude

Deborah é integrante do movimento denominado como Levante Popular da Juventude, que divulgou uma nota para imprensa, afirmando que não haverá descanso enquanto os responsáveis pelo o ocorrido sejam punidos e que a vítima receba toda a assistência necessária. Na nota o movimento ressalta que todas as medidas legais e políticas serão tomadas.

Agressões e prisões

Nas redes sociais surgiram vários relatos de outras agressões sofridas por manifestantes durante o ato contra Temer. Uma outra jovem foi atropelada e dois fotógrafos foram presos, o equipamento de um deles foi totalmente destruído pela PM. Eles forma liberados na manhã desta quinta-feira.

Ouvidoria

A Ouvidoria da Polícia de São Paulo vai pedir ao MP - Ministério Público, para investigar a atuação da PM que teria levado a jovem a ficar cega. A Corregedoria da PM e a Secretária de Segurança Pública de São Paulo, também serão acionados para investigar o excesso de violência por parte da polícia. #Impeachment