Professor Marco Antonio - esse é o nome do candidato que tenta uma das cadeiras a vereador no município do Rio de Janeiro. O docente é membro do grupo extremista ‘Nacional Democracia — DAP’. Além de ser filiado ao PSC, mesmo partido do deputado federal Jair Bolsonaro, o político ostenta fotos ao lado de seu ídolo mais famoso. No ano passado, durante uma audiência da Comissão dos Direitos Humanos, Marco Antonio esteve na Câmara do Rio usando uma fantasia de Adolf Hitler. A semelhança com o homem que conduziu a Alemanha na segunda guerra mundial é inevitável. Até mesmo um bigode do mesmo estilo é cultivado. 

Nas redes sociais, Marco Antonio promove o Neo-#Nazismo.

Publicidade
Publicidade

Isso depois de algumas referências nazistas serem contra a lei brasileira. A suástica, por exemplo, pode levar a prisão de um cidadão local ou estrangeiro. O PSC, no entanto, não teve qualquer incômodo em receber com braços abertos o candidato. No site 'Eleições 2016', que traz dados dos candidatos do pleito, que ocorre no dia 2 de outubro, o eleitor consegue ter mais informações sobre o possível novo vereador do Rio de Janeiro. Apesar de se dizer professor, Marco é Analista de Sistemas e tem 52 anos. 

Mesmo dizendo que dá aulas no nome que aparece nas urnas, o homem contou à Justiça Eleitoral ter apenas o ensino médio completo. Não é a primeira vez que o candidato provoca polêmicas pelo seu pensamento político. Ele já havia até posado vestido de Adolf Hitler ao lado de Bolsonaro. A foto pode ser observada em nossa galeria. 

Em outros posts, o professor faz alusões ao Coronel Brilhante Ustra, o mesmo que é considerado o torturador da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), durante o regime militar.

Publicidade

O suposto amigo do político, Jair Bolsonaro, também prestigia bastante Ustra. Em abril, durante a votação do impeachment da petista, ele fez uma alusão ao militar. Por conta disso, Bolsonaro está sendo investigado pela Câmara por suposta "falta de decoro". A pena máxima da investigação é a cassação do mandato.  #Governo