Preso na manhã desta quinta-feira (22) pela Polícia Federal, o ex-ministro Guido Mantega foi solto por determinação do juiz Sérgio Moro no início da tarde.

Eike Batista, que já foi o sétimo homem mais rico do mundo segundo a revista Forbes, prestou depoimento como testemunha à força-tarefa da #Lava Jato e incriminou Mantega, com declarações sobre seu envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Qual o papel de Mantega nas transações?

De acordo com Eike, o ex-ministro teria pedido a ele R$ 5 milhões para quitar dívidas da campanha da primeira eleição de Dilma Rousseff. Para lavar o dinheiro, proveniente de desvios da #Petrobras, a quantia seria paga à empresa do então marqueteiro do PT João Santana e sua esposa Mônica Moura, presos pela Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

O empresário disse que houve a realização do serviço contratado, porém o valor do pagamento foi superfaturado em 50%. Mônica, que tenta um acordo de delação premiada, teria sido a responsável pela operação.

Operação Arquivo X

O título dado a esta fase da Lava Jato se refere às empresas de Eike Batista, que sempre colocava a letra X ao batizá-las. A investigada no momento é a OSX, da área de construção naval. As investigações apuram fraudes na construção de dois navios-plataforma, chamados plataformas flutuantes, na Bacia de Santos.

Associada à empreiteira Mendes Junior, a OSX foi vitoriosa na licitação para a construção das duas plataformas que atuariam na extração de petróleo do pré-sal. O consórcio Integra Offshore, formado pelas duas empresas, não possuía experiência nem estrutura para a construção.

Publicidade

Mesmo assim, ganhou a concorrência e um contrato de 922 milhões de dólares. A força-tarefa da Lava Jato acredita que, para tanto, pagaram propina a agentes públicos e a políticos.

João Augusto Henriques, ligado à Diretoria Internacional da Petrobras e ao PMDB, já condenado pela Lava Jato, teria intermediado dois repasses em 2013, um de R$ 7 milhões e outro de R$ 6 milhões.

Sérgio Moro justificou a liberação de Guido Mantega, sob a alegação de que desconhecia a situação familiar pela qual o ex-ministro está passando.

 

 

 

  #Corrupção