Mesmo Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, admitindo que não tinha conhecimento nenhum sobre o plano frustrado nesta segunda-feira (19), de aprovar anistia ampla, geral e irrestrita para o crime de caixa 2, alguns deputados disseram que o texto seria apreciado no Senado, já estava tudo certo. Se o presidente do Senado sabia ou não dessa votação, o que chama atenção, é que depois de falhar essa proposta, Renan resolveu tentar aprovar outro projeto, no caso uma atualização que pune o "abuso de autoridade". 

Esse projeto é de autoria do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), e foi engavetado em 2009. Renan quer ressuscitar o projeto e isso pode não ser bom para a #Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Segundo alguns parlamentares próximos a Renan, essa atualização de projeto pode sim interferir na Lava Jato, pois inibe as falas e ações dos procuradores e juízes.

O presidente do Senado é alvo da Lava Jato, onde é protagonista de nove inquéritos, e esse pode ser o motivo dele tentar interferir nas investigações.

Declarações

Nesta segunda (19), Renan comentou sobre a força-tarefa, dizendo que ela é muito importante para a sociedade e nada vai detê-la, porém criticou o "exibicionismo" dos procuradores, que coloca em exposição pessoas que ainda não são confirmadas como culpadas. Segundo Renan, as investigações devem ter começo, meio e fim e não atitudes com cunho político, no caso, denúncias sem consistência.

Sorte de Renan

Áudios gravados mostraram o presidente do Senado em vários diálogos com o empresário Sérgio Machado.

Publicidade

Nessas conversas foi revelado alguns pensamentos de Renan. O ex-presidente da Transpetro, Machado, entregou várias provas em sua delação. O presidente do Senado se mostra apreensivo nas "escutas gravadas' e pensa em planos para interferir na Lava Jato. O medo do presidente do Senado era claro e parar a Operação era essencial.

A sorte do parlamentar é que ele tem foro privilegiado e só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ser julgado pelo Supremo num certo ponto é bom para ele, pois lá os processos demoram para serem julgados e ele ganha tempo com isso.

Com profissionalismo e evitando os mesmos rumos de Eduardo Cunha, Renan Calheiros vai preservando seu mandato e evitando a perda de seu cargo. #Corrupção #Senado Federal