A proposta de #reforma trabalhista, proposta pelo #Governo Michel Temer, parece que está deixando os sindicalistas muito irritados e a classe trabalhadora muito confusa. Mesmo com a retratação do ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira que a jornada de trabalho não será aumentada para 12 horas, parece que a fala do ministro gerou uma grande fúria nos sindicalistas.

“Para nós, essas falas são balões de ensaio, e balões furados”, afirmou o secretário-geral João Carlos Gonçalves ao jornal Folha de São Paulo. João Carlos é representante da Força Sindical.

A Força Sindical que também lançou uma nota à imprensa afirmando que o governo de Michel Temer precisa ter mais prudência na forma pela qual está divulgando as medidas que serão feitas.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Força Sindical, as novas medidas do governo estão sendo feitas de forma “atabalhoada” e fatiada. A Força também afirmou que é totalmente contra a mudança dos direitos já estabelecidos incluindo a possível mudança na jornada de trabalho para 12 horas.

Polêmica entre governo e sindicalista foi iniciada na quinta-feira

Toda a polêmica que repercutiu de forma extremamente negativa entre os sindicalistas, iniciou-se na última quinta-feira (08) após as declarações dadas pelo ministro Ronaldo Nogueira durante um debate realizado com sindicalistas que representavam 19 estados. Nogueira afirmou que, entre as medidas que estarão na reforma trabalhista, estará o aumento da jornada de trabalho de 8 horas para 12 horas.

A intenção do governo é que a reforma trabalhista seja enviada ao Congresso Nacional ainda esse ano.

Publicidade

Após as declarações do ministro, Michel Temer interviu e fez uma ligação a Nogueira pedindo para que o ministro se retratasse e “desmentisse” publicamente sobre a mudança na jornada de trabalho. O ministro logo na sexta-feira (09), atendeu ao pedido de Temer e concedeu uma entrevista a rádio Estadão, porém, a retratação parece não ter surtido efeito, pois parece que a centelha acendeu a chama dos movimentos trabalhistas espalhados em todo o Brasil que já estão ensaiando uma paralisação nacional para protestar contra a reforma trabalhista. #Manifestação