Marcos Valério, que apareceu para os brasileiros como um dos manipuladores do 'Mensalão', voltou à mídia nesta segunda-feira, 12, quando foi entrevistado pelo juiz Sérgio Moro. Já condenado a 38 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Marcos Valério contou ao juiz da Lava-Jato sobre uma suposta chantagem envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, houve por parte do partido dos Trabalhadores (#PT) uma tentativa de comprar o silêncio do empresário Ronan Maria Pinto, que ameaçava colocar o nome Lula na investigação sobre o assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel.

Um crime. Quem é o culpado? Quem matou Celso Daniel?

O assassinato do prefeito é um dos episódios mais polêmicos da política brasileira e até hoje não teve uma solução, tanto que o assunto ganhou tônica nas mãos de Sérgio Moro, que pelo trabalho exemplar ganhou o prêmio de uma das 100 personalidades mais influentes do planeta pela revista americana Time.

Publicidade
Publicidade

Valério, segundo informações da Revista Veja, confirmou que Ronan teria recebido o suborno, mas se negou a entrar em detalhes. A parte confirmada por ele é que o PT realmente pagou para que a imagem do ex-presidente Lula não fosse manchada. Não há uma suspeita direta de que o ex-líder sindical tenha qualquer participação na morte de Celso Daniel, mas o nome dele, até pelo que representa na legenda, sempre aparece nas investigações.

Nome de um presidente em pauta 

Lula esteve no enterro de Celso Daniel, como mostra a foto que pode ser vista na nossa galeria de imagens. Ele aparentava estar muito triste com a morte, que acabou sendo usada na época como manobra política. O PT acabou crescendo por conta da comoção em torno do assunto. Anos depois, o mesmo político que chorava diante de um caixão chegou a presidência do Brasil e não teve um crime impedindo que o seu sonho de chegar ao poder fosse impedido.

Publicidade

Sérgio Moro agora deve agir com as informações que recebeu e até reabrir as investigações oficialmente sobre o caso de Celso Daniel.  #SérgioMoro