O dia de ontem, 7, feriado pela Independência do #Brasil, foi marcado por protestos e vaias contra o Presidente da República. Logo pela manhã um grupo de estudantes gritou palavras de ordem contra Michel Temer no desfile pela Independência do Brasil em Brasilia. Além disso, por conta de possíveis manifestações, #Michel Temer quebrou uma tradição e não desfilou em carro aberto, chegando em carro fechado ao local do desfile.

Além de Brasília, pelo país todo ecoaram protestos contra o governo federal junto com o Grito dos Excluídos que este ano esteve na sua vigésima segunda edição. No Rio de Janeiro o protesto contra o governo federal se concentrou às 9 horas e marchou até o Boulevard Olímpico, contando com cinco mil pessoas. Em São Paulo a concentração aconteceu na Praça Oswaldo Cruz, esquina com Avenida Paulista. Em Salvador o ato concentrou na praça Dois de Julho e chegou a reunir quinze mil pessoas, segundo seus organizadores. Em Recife a concentração foi na Praça do Derby, desde as 9 horas, e segundo seus organizadores chegou a reunir vinte mil pessoas. Em Belo Horizonte o Grito dos Excluídos reuniu vinte mil pessoas segundo seus organizadores (ano passado foram quinhentas pessoas) e concentrou suas palavras de ordem contra o governo. Em Porto Alegre milhares de pessoas, além de gritarem contra o capitalismo e contra Michel Temer, centravam fogo em palavras de ordem contra a reforma da previdência proposta pelo governo federal.

Publicidade
Publicidade

À noite, mais problemas para o presidente do Brasil. Desta vez na abertura dos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro. Assim como ocorreu na abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro, o presidente foi vaiado e mais de uma vez. Primeiro quando o presidente da organização dos jogos, Carlos Alberto Nuzman, agradeceu o apoio dos governos federal, estadual e municipal. A vaia foi estrondosa, fazendo com que ele parasse o discurso por alguns minutos. A segunda vez veio quando o presidente do Comitê Paraolímpico Internacional citou Michel Temer. E por fim quando Michel Temer, de forma tímida, anunciou a abertura dos jogos paraolímpicos.