É inegável a influência política do Pastor Silas Malafaia entre os evangélicos. Seja na TV, na internet ou através de suas palestras e conferências, Malafaia sempre reserva um espaço para fomentar seus interesses políticos e, sobretudo, influenciar sua audiência.

Recentemente, Malafaia usou seu programa na Rede TV, e também o seu canal no Youtube, para fazer o que ele chama de "alerta" aos evangélicos.

Ele citou alguns partidos de esquerda e extrema esquerda, e pediu que os evangélicos votem em seus respectivos candidatos.

Confira a Lista:

PT - Partido dos Trabalhadores

PSOL - Partido Socialismo e Liberdade

Rede de Sustentabilidade 

PCdoB - Partido Comunista do Brasil

PV - Partido Verde

O argumento usado por ele é que esses candidatos nunca defenderam os interesses das famílias cristãs, antes, defendem tudo aquilo que o próprio Silas e a bancada evangélica na Câmara dos Deputados criticam, como:  a erotização de crianças nas escolas através da Ideologia de gênero, casamento gay, aborto, entre outros itens contrários aos interesses cristãos.

Publicidade
Publicidade

No vídeo, ele duramente os chama de sínicos e covardes.

O alerta de Silas trás uma imediata preocupação aos partidos, já que todos sabem do poder de influencia que tem o pastor.

 

O que isso muda?

É visível o interesse dos candidatos de desvincular sua imagem dos seus respectivos partidos, nas eleições anteriores, era extremamente comum que os candidatos do PT, por exemplo, destacassem a estrela vermelha do partidos nos santinhos, cartazes, vídeos e em tudo que pudessem usar para mostrar que eram do PT, bem como o PSOL ou qualquer outro partido de esquerda, seus candidatos militante queriam deixar bastante claro a bandeira que defendiam. 

Hoje, depois de escândalos e até mesmo depois de "alertas" como os de Silas Malafaia, os candidatos abriram mão dos escudos e cores partidárias, o vermelho tão popular entre os petistas, quase não aparece mais nos seus materiais de campanha. 

Isso é fruto de um forte desgaste político a que os partidos tem se submetido, e "listas negras", como a que foi listada acima, tem atraído cada vez mais simpatizantes.

Publicidade

#Política #silasmalafaia #Eleições 2016