Eduardo Suplicy resolver ir às manifestações, neste domingo (04), contra o governo Temer. O ex-senador defende novas eleições e diz que o presidente tem que ouvir os protestos na rua. Segundo Suplicy, a tendência é que as manifestações aumentem cada vez mais, causando pressão no governo. Mesmo com alguns projetos considerados bons para o país, como a PEC que limita os gastos públicos, Suplicy quer novas eleições. 

Um fato inusitado chamou a atenção. Enquanto Suplicy gritava "fora Temer" e participava das manifestações, furtaram sua carteira. Esse roubo só foi percebido pelo ex-senador, quando ele parou em uma lanchonete para tomar um café e viu que não tinha dinheiro. 

O ex-senador divulgou no Facebook o roubo da carteira e pediu para que quem encontrasse a carteira, pudesse entregar para ele, mas até agora não teve retorno.

Publicidade
Publicidade

Um Boletim de Ocorrência digital também foi feito.

Já é a segunda vez que Suplicy é furtado em São Paulo. Na outra vez, ele estava presente na Virada Cultural, e teve carteira, celular e documentos levados, durante um show da Daniela Mercury. Em seguida, ele subiu no palco e fez um apelo junto a cantora para que achassem seus documentos. 15 minutos depois entraram em contato com ele e os pertences foram entregues.

Confusão

Quando se encerrou o protesto, a polícia teve que dispersar os manifestantes e utilizou bombas de gás e jatos d'água. Em nota a polícia disse que a manifestação estava tranquila, mas quando chegou ao final, o vandalismo apareceu para tirar a paz das pessoas e a tropa teve que agir. 

Tumulto

Foi constatado um grande tumulto na Estação Faria Lima do Metrô. Vândalos quebraram catracas e ameaçaram os funcionários.

Publicidade

A polícia reagiu para estabelecer a ordem e foi atacada por pedradas. Foram detidas nove pessoas com barras de ferro nas mãos, pedras e máscaras.

A manifestação foi organizada pelo movimento Frente Brasil Popular, formado por integrantes ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) #EduardoSuplicy #Casos de polícia