Nesta segunda-feira (19), o presidente Michel Temer participou de assembleia geral sobre refugiados e migração na Organização das Nações Unidas (#ONU) em Nova York.

Assim como o Brasil, os Estados Unidos são um país formado por povos de várias nacionalidades, porém a situação dos imigrantes naquele país não é bem vista e tende a piorar, devido à constante ameaça terrorista.

Atentado em NY

No último sábado (17), a explosão de uma bomba em uma lixeira deixou 29 feridos em Manhattan e uma segunda bomba foi encontrada pelas autoridades nas imediações. Ainda no mesmo sábado, uma outra lixeira foi explodida em Nova Jersey, esta sem deixar feridos.

Publicidade
Publicidade

Nesta madrugada, outra bomba foi encontrada em Nova Jersey.

O FBI deteve um suspeito, que ficou ferido no tiroteio com a polícia e foi levado para um hospital sob custódia. Se trata de um norte-americano de origem afegã, identificado como Ahmad Khan Rahami, de 28 anos de idade. Ele também é suspeito de ter fabricado outras cinco bombas, que foram deixadas em uma estação de trem de Nova Jersey. O FBI investiga se há uma rede terrorista nos estados de Nova Jersey e Nova York, que teria dado apoio a Ahmad.

Tudo indica que os atentados e as tentativas frustradas destes últimos dias se relacionem com o evento que acontece na ONU, cujo tema é justamente a situação de refugiados e migrantes.

Temer defende a inclusão

Em seu discurso, superfaturando os números, Michel Temer afirmou que o Brasil recebeu 95 mil refugiados de 79 nacionalidades, nos últimos anos.

Publicidade

Segundo o presidente, o Brasil pretende ser reconhecido como um país que garante direitos, não criminaliza a migração e facilita a inclusão. Não obstante Temer tenha feito estas afirmações e dito que está para ser aprovada pelo Congresso uma lei que dará a eles o "visto humanitário", a realidade mostra que a maioria dos que aqui chegam enfrentam extrema dificuldade de inserção social, a começar por postos de trabalho.

A favor de Donald Trump

O candidato à presidência dos EUA Donald Trump parece mesmo poder contar com a sorte. Crítico das políticas de Obama e das propostas de sua opositora democrata Hillary Clinton sobre a questão da imigração, Trump acaba de ganhar mais alguns votos, usando seu posicionamento radical contra o recebimento de imigrantes e refugiados. Nada como um povo assustado para acertar o alvo.

  #Crise migratória #Michel Temer