Teori Zavascki, ministro do Superior Tribunal Federal (STF), rejeitou mais uma ação da defesa do ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio #Lula da Silva - Lula, do Partido dos Trabalhadores (PT), por entender que se tratava de uma ação para obstruir a operação Lava Jato, regida pelo juiz Sérgio Moro. A ação enviada à Suprema Corte pela defesa de Lula questiona a maneira de como o juiz paranaense Sérgio Moro está operando a #Lava Jato; a estratégia é que Lula só seja investigado pelo Supremo e não por Moro.

Essa já não é a primeira ação enviada pelos advogados de Lula contra a maneira com que Sérgio Moro está atuando a frente da operação Lava Jato, de modo a desestabilizar o juiz.

Publicidade
Publicidade

Na primeira ação enviada à Zavaski, a defesa questionava o modo com que Moro teria descoberto informações usadas como base de seu processo investigativo, como, por exemplo, as intercepções telefônicas que o juiz paranaense fez em autoridades com foro privilegiado; quando Moro interceptou conversas entre a então presidente do Brasil, Dilma Rousseff (que no momento ainda possuía foro privilegiado) e o ex-presidente Lula.

O ministro reiterou que Lula está sendo persistente na ideia de tentar sair da mira do juiz Moro, declarando que há “insistência do reclamante”. Teori ainda explicou que os tais argumentos apresentados novamente pela defesa do petista se tratam de reclamações já apuradas anteriormente e negadas, o ministro afirmou que a defesa está tentando embaraçar as apurações realizadas pela Lava Jato.

Publicidade

#Corrupção

RELEMBRANDO

  • A Operação Lava Jato começou dia 17 de março de 2014 em Brasília, tendo o doleiro, Alberto Yousseff, e o ex-diretor de abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, como os primeiros delatores da operação. A partir deles foi descoberto um esquema bilionário de lavagem de dinheiro envolvendo a Petrobras.
  • Estima-se que a quantia desviada dos cofres públicos chegue aos R$ 20 bilhões.
  • Atualmente a Lava Jato está na sua 33ª fase. No dia 10 de agosto de 2016 foi deflagrada a “Operação Irmandade”.
  • A tramitação do processo está na 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba e no Supremo.
  •  Sérgio Moro é o juiz responsável pelo caso no estado do Paraná (sul do país) e Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal – STF.