Um dos juízes mais conhecidos do Brasil, Sérgio Moro, responsável pelo julgamento de réus da Operação #Lava Jato, da Polícia Federal,  teve uma nova vitória na Justiça. Em abril, após vazar áudios de ligações grampeadas de Lula, dezesseis advogados, além de partidos políticos, representaram contra o magistrado, pedindo o seu afastamento.

Entretanto, na última quinta-feira, 22, a TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), conferiu treze votos a favor do arquivamento da representação contra Moro. Apenas um juiz votou a favor do prosseguimento da ação.

A petição arquivada alegava que Moro cometeu um ato de ilegalidade ao divulgar ligações em que Dilma Rousseff conversava com Lula e negociava a sua “salvação”, o nomeando as presas para a Casa Civil, a fim de livrá-lo da prisão, uma vez que um pedido de preventiva já havia sido feito pelo MP-SP.

Publicidade
Publicidade

Por lei, o presidente da República tem o sigilo de suas comunicações resguardados, entretanto, no caso repercutido, a lei e os magistrados definem que Dilma não era o foco das gravações, mas sim Lula, logo, era o telefone do ex-presidente que estava grampeado e não o da ex-presidente, tanto que as gravações envolvendo Rousseff foram anuladas recentemente para evitar novos conflitos e mal entendidos.

Os treze juízes concluíram que não houve qualquer irregularidade por parte do juiz federal, arquivando o pedido. Outras representações feitas contra Moro, inclusive que partiram de políticos, já foram arquivadas a meses atrás.

Moro continuará por tempo indeterminado à frente dos julgamentos dos réus da Lava Jato, sendo alguns deles, Lula e sua esposa Marisa. Procuradores estimam que a Lava Jato dure, pelo menos, mais dois anos e, no dia em que a denúncia contra Lula foi divulgada, um dos procuradores disse que o esquema de corrupção da Petrobras, conhecido como Petrolão, era apenas uma parte de um esquema criminoso muito maior.

Publicidade

Com a falta de sucesso em tentar parar o juiz que tem cumprido seu papel julgando centenas de páginas de autos contra réus poderosos, Lula e seus aliados buscam chamar a atenção da imprensa internacional sobre um suposto abuso de poder. Para o ex-presidente, a denúncia contra ele é um absurdo e não existem provas que o incriminem. Moro aceitou a denúncia contra o petista essa semana e lamentou que Marisa também tenha se tornado ré nas investigações, pois, para ele, a ex-primeira dama pagou o preço por ser cúmplice de Lula, que é o verdadeiro responsável pelos atos criminosos documentados pelos procuradores do MPF. #Polícia Federal #Sergio Moro