O Brasil ficou chocado com mais um caso de violência envolvendo políticos, o vice-governador de Goiás e o candidato a prefeito foram alvos de atentado. José Gomes da Rocha, chamado popularmente por Zé Gomes, morreu assassinado nesta quarta-feira (28). O vice-governador do estado de Goiás, José Eliton também foi atingido durante o ataque. O policial militar, Vanilson João que estava acompanhando os políticos foi baleado e acabou morrendo.

O caso aconteceu no município de Itumbiara, localizada no sul goiano. Os políticos faziam uma carreata na cidade, quando um homem apareceu e começou a atirar nas pessoas. O atirador acertou quatro pessoas, a tragédia não foi maior, pois os seguranças que acompanhavam a carreata, entraram em ação e mataram o atirador.

Publicidade
Publicidade

O vice-governador José Eliton, que também responde pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás recebeu um tiro na barriga. José Eliton recebeu os primeiros socorros no hospital da cidade, em seguida ele foi encaminhado para Goiânia. O vice-governador precisou passar por um procedimento cirúrgico, mas, de acordo com informações de sua assessoria que emitiu um comunicado, Eliton encontra-se sedado e seu estado clínico é estável, afirmou ainda que ele não corre risco de morrer. O advogado Célio Rezende, que também participava da carreata ficou ferido e também foi transferido junto com o vice-governador.

De acordo com as informações do responsável pelas investigações, o delegado Ricardo Chueire, o homem que provocou toda a tragédia foi identificado como Gilberto Ferreira. O homem tinha 53 anos e era servidor do município.

Publicidade

A assessoria relatou que Gilberto se posicionou em frente ao carro e disparou vários tiros, pegando todos de surpresa.

O governador de Goiás está viajando cumprindo compromissos fora do país, com isso, o vice estava exercendo a função em exercício até o seu retorno. Com o afastamento de José Eliton, Hélio de Sousa, o presidente da Assembleia Legislativa é quem vai assumir a função de governador.

Jovair Artantes, deputado federal, também participava da carreata e estava no carro que foi atacado pelo atirador. Segundo ele, ninguém imaginou que o homem fosse atirar, todos acreditaram que ele quisesse apertar a mão do candidato a prefeito.

Esse é mais um caso envolvendo morte de políticos nas #eleições deste ano. Na segunda-feira (26), o candidato a vereador pelo Rio de Janeiro, Marcos Falcon foi morto em seu comitê eleitoral. Falcon era presidente da escola de samba Portela e era muito querido pelos moradores do local. #Eleições 2016 #Dentro da política #Política