Uma “debandada geral” ocorreu no plenário da #ONU em Nova York, nos Estados Unidos, durante o discurso do presidente Michel Temer na Assembleia Geral das Nações Unidas. Segundo a imprensa internacional, pelo menos cinco representantes de países latino-americanos (Cuba, Costa Rica, Bolívia, Equador e Venezuela) levantaram de seus assentos e saíram da assembleia para não ouvir as palavras do presidente brasileiro. O exato momento em que todos se levantam e saem do plenário foi registrado em vídeo pela emissora venezuelana Telesur.

A debandada foi combinada e serviu como um “protesto contra o golpe imposto pelo presidente #Michel Temer a Dilma Rousseff”, bem em frente aos olhos do mundo, garantiu a emissora de TV venezuelana.

Publicidade
Publicidade

Assista ao vídeo do exato momento em que ocorre a “fuga” dos representantes dos cinco países, logo após o anúncio do discurso de Temer na ONU.

Durante discurso, Temer comentou sobre processo de impeachment

Michel Temer não se intimidou perante a #Manifestação que ocorreu logo após o anúncio de seu nome. Ele fez um discurso coeso e defendeu a atual situação política brasileira e comentou sobre o processo de impeachment que resultou em sua efetivação no cargo de presidente.

“Não existe democracia sem Estado de direito, sem leis e normas que se apliquem a todos, inclusive aos mais poderosos. E isso foi o que o Brasil mostrou ao mundo. E o fez em meio a um processo de depuração de seu sistema político”, disse.

Além de comentar sobre o impeachment, Temer ressaltou o trabalho do Congresso Nacional e da Suprema Corte Brasileira, que teve ampla participação no processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Ele garantiu a todos os presentes que tudo o que ocorreu no país foi dentro do respeito a ordem constitucional, pois o Brasil possui uma Ministério Público independente, assim como os órgãos do poder executivo e do legislativo.

Publicidade

Ao final de seu discurso, ele afirmou que tudo o que ocorreu no país foi devido a força das instituições e ocorreu sob o olhar independente da sociedade e da imprensa livre.