A italiana Paola Torrente foi a surpresa no concurso Miss Itália. A bonita morena, de 22 anos, terminou na segunda posição, apesar de ser uma modelo de tamanhos grandes. Em uma das raras ocasiões que a segunda classificada ganha maior destaque que a vencedora, Paola está recebendo toda a atenção depois desse concurso. Mas nem tudo está sendo positivo para a italiana, que está sendo alvo de várias humilhações na #Internet, dizendo que ela é "gorda demais". Uma supermodelo croata disse mesmo que seu lugar de destaque no concurso foi apenas por uma questão "política", reforçando que ficava mais bonito darem o prêmio para a 'gordinha'. 

Paola Torrente veste o 42, medidas atípicas para o normal da #Moda atual, onde muitas das modelos até são consideradas como demasiado magras, e a anorexia continua sendo uma realidade entre algumas aspirantes a modelos.

Publicidade
Publicidade

Paola não teria esse problema, e assume suas curvas, sem problemas. De tal forma, que a estudante de engenharia, na faculdade, vem fazendo carreira mas como modelo de tamanhos grandes. Dessa vez, tentou a sua sorte entre as modelos mais magrinhas e acabou se dando bem. 

A jovem modelo mais curvilínea conquistou rapidamente os fãs, por sua simpatia e beleza. E muitos reconheceram que a sua diferença merecia receber a vitória. Para alguns comentadores, até deveria ter sido Paola a miss Itália, e chamam a vencedora Rachele Risaliti, de 21 anos, de "insossa", reclamando que Paola seria a justa vencedora. 

Apesar de muitos elogios, a jovem modelo não está se livrando de vários ataques, especialmente na Internet. São várias as pessoas falando que o lugar de Paola não pode ser na moda, por ser "gordinha demais para ser uma rainha da beleza".

Publicidade

A mãe da terceira classificada disse mesmo que "modelos de tamanho 42" deveriam participar em outros concursos, como o "Miss Itália de tamanhos grandes" e não no evento principal. 

Mas a maior das críticas chegou da supermodelo e estrela de TV Nina Moríc, de 40 anos. A croata disse que o segundo lugar foi uma escolha "politicamente correta", de uma organização de concurso que pretende mudar as regras, defendendo "pessoas com excesso de carne", para que "os outros se aceitem" e por uma questão de sensibilidade. 

Os organizadores do concurso, acreditam no sucesso do evento e que a participação de Paola Torrente é importante para "combater a anorexia na indústria" da moda e que as pessoas deveriam se concentrar menos nos esterótipos e procurarem modelos mais "reais".

Paola Torrente não comentou o caso, apenas acrescentando que apesar de ter terminado no segundo lugar, se sente uma vencedora. 

E o leitor, o que pensa desse caso? A vitória de Paola foi por uma questão política ou ela mereceu mesmo? As 'gordinhas' não têm lugar na moda? Deixe sua opinião! #Viral