O instituto Ipsos divulgou uma pesquisa, nesta quinta-feira (13), em que aborda a popularidade do presidente Michel Temer e de seu governo. Segundo os números apresentados referentes a setembro, o peemedebista teve 30% de aprovação entre os entrevistados, enquanto seu percentual de desaprovação foi de 60%. Por incrível que pareça, pelos números baixos, essa foi a melhor taxa de aprovação já obtida pelo presidente da República.

Para quem pensa que 60% de desaprovação é ruim, segundo o instituto Ipson, em junho, esse valor era de 70%, quando Temer atingiu seu pior desempenho na pesquisa. No último mês, agosto, Temer registrou uma taxa de desaprovação de 62%.

Publicidade
Publicidade

A queda do mês passado para a última pesquisa foi de 2 pontos percentuais.

Segundo Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos, os números referentes a Temer são extremamente baixos, porém apresentam pequenas melhoras nesse mês de setembro. Pela sua interpretação, essa pequena diferença gira em torno do fim do processo de impeachment, o que pôs fim a um momento de intensa instabilidade politica, econômica e social.

A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram entrevistadas 1200 pessoas, entre os dias 6 a 16 de setembro, em 72 cidades. 

Avaliação do governo

Além da avaliação pessoal do presidente, a Ipson também pesquisou como está o nível de confiança dos brasileiros com relação ao governo Temer. 8% responderam que consideram a gestão do peemedebista como "ótima ou boa" - mesma taxa apresentada em agosto.

Publicidade

31% disseram que consideram o governo Temer como "regular" - por incrível que pareça, essa também foi a taxa obtida na última pesquisa. 45% consideraram o Executivo nas mãos de Temer como "ruim ou péssimo" - essa faixa em agosto apresentava 49%. Os entrevistados que não souberam ou não quiseram opinar representaram 16% - em agosto, foram 12%.

Golpe ou impeachment?

Mesmo após a deposição do cargo de Dilma e a efetivação de #Michel Temer na presidência da República, a disputa entre golpe ou impeachment segue acirrada nas ruas. Segundo a pesquisa da Ipson, 40% disseram que não houve golpe, enquanto 33% concordam com a ex-presidente que ela sofreu um golpe parlamentar. 

"Fora PT"

O "ódio" pelo Partido dos Trabalhadores também foi mensurado pela pesquisa do instituto Ipson. Segundo 44% dos entrevistados, o impeachment de Dilma Rousseff foi bom porque tirou o PT do poder. Outros 31% disseram não concordar com essa afirmação. 

Economia

A questão da crise econômica também foi abordada pela pesquisa.

Publicidade

44% das pessoas que foram questionadas afirmaram acreditar que a economia vai voltar a crescer com a saída da ex-presidente Dilma Rousseff. Outros 28% acham que a tendência é se manter como está ou piorar no governo Temer.

Desinformação

Alguns números que chamaram a atenção foi o nível de desinformação dos entrevistados. 49% dos pesquisados que foram questionadas sobre a reforma da Previdência não souberam dizer do que se tratava. Quando o questionamento foi sobre as mudanças no setor trabalhista, 59% não souberam responder.  #Dentro da política #PMDB