A partir do próximo ano, o advogado da ex-presidente #Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo, terá um novo chefe. Após um bom tempo afastado da Prefeitura de São Paulo, Cardozo voltará ao cargo de procurador municipal, e seu chefe será o prefeito eleito de São Paulo, João Dória.

O objetivo do advogado é conciliar o trabalho no município, com os exercícios de advocacia, em escritório particular. Ele também continuará defendendo a ex-presidente Dilma Rousseff do processo de impeachment, que cassou seu mandato.

Cardozo demonstrou não se importar em ter como chefe Dória. Numa reunião com o prefeito Fernando Haddad, ele ressaltou a sua vontade em voltar à Procuradoria.

Publicidade
Publicidade

O advogado da Dilma, possui uma agenda bem carregada. Ele dá palestras pelo Brasil e no exterior e sempre está buscando alternativas para a absolvição de Dilma. Cardozo é responsável pela defesa da ex-presidente e ele tenta anular, no Supremo Tribunal Federal (STF), a cassação do mandato da petista.

Trajetória

José Eduardo Cardozo começou a trabalhar em São Paulo, no ano de 1980, quando o prefeito da cidade era Jânio Quadros. Com o incentivo do assessor de Jânio, Cláudio Lembo, ele entrou na Procuradoria e ficou até ser convidado pela ex-prefeita Luiza Erundina à assumir uma secretaria no governo. O advogado se formou pela PUC e está afastado do cargo de procurador municipal há mais de 21 anos.

Novos rumos

Um dos locais em que Cardozo trabalhará no próximo ano, é num escritório de advocacia, com os sócios Celso Cordeiro e Marco Aurélio de Carvalho.

Publicidade

O escritório possui duas unidades, além da cidade de São Paulo, tem filial em Ribeirão Preto. A função de Cardozo será a criação do departamento de direito público.

O novo chefe de Cardozo, Dória, foi eleito em São Paulo com mais de 3 milhões de votos e venceu no primeiro turno. O prefeito eleito demonstra pressa em governar a cidade e já falou em várias entrevistas sobre suas ideias para São Paulo.

João Dória é o oposto de Cardozo. O prefeito não gosta do PT e já fez várias críticas a ex-presidente Dilma Rousseff. #JoãoDória #Justiça