Neste domingo, 02, foram realizadas as eleições municipais em todo o Brasil. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais de 140 milhões de pessoas estão habilitadas para escolherem os prefeitos e vereadores de mais de cinco mil cidades em todo o território nacional. Na hora da chamada "festa da democracia", muitas personalidades estiveram nas urnas para registrar a sua preferência. Um delas foi o ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara que foi cassado, Eduardo Cunha, do PMDB. O político foi flagrado durante votação no Centro Educacional Santa Mônica na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

Ele é do mesmo partido do candidato Pedro Paulo, que aparece empatado nas pesquisas do Ibope e do Datafolha com outros candidatos, mas que tem uma leve perca para Marcelo Freixo, do PSOL.

Publicidade
Publicidade

As mudanças na corrida eleitoral na cidade maravilhosa aconteceram, principalmente, após o debate realizado na Rede Globo de Televisão. Eduardo não chegou a conversar com a imprensa ao sair da zona de votação. O candidato dele também é apoiado pelo atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que nem mesmo com os argumentos do "legado olímpico" conseguiu dar força para seu pupilo.

Quem também esteve fazendo parte desse momento importante para a democracia foi o juiz federal Sérgio Moro, conhecido pelo seu trabalho elogiado diante da operação Lava Jato. Ele fez o registro do seu voto no Clube Duque de Caxias em Curitiba, no Paraná. No estado ele faz os despachos contra políticos e empresários de todo o país que acabaram caindo nas garras da corrupção. O juiz federal foi bastante simpático com os jornalistas.

Publicidade

Ele até acenou para diversas pessoas que faziam o registro da votação. 

A primeira-dama do Brasil, Marcela, foi votar sozinha. O marido dela, o presidente, foi o primeiro a registrar o seu voto em uma zona eleitoral de São Paulo. O objetivo dele foi evitar qualquer tipo de manifestação contra ele que pudesse atrapalhar o desenrolar da votação na região.   #Eduardo Cunha #PMDB