Neste domingo, 30, alguns milhões de brasileiros voltam às urnas de algumas cidades para votarem no segundo turno. O objetivo é escolher quem será o novo prefeito de cada município. O município com maior número de eleitores em que há o segundo turno é o Rio de Janeiro, onde Marcello Crivella e Marcelo Freixo disputam a preferência dos eleitores. No entanto, capitais ao redor das cinco regiões e cidades importantes - com mais de 200 mil habitantes e onde nenhum candidato teve 50% dos votos mais um - também tiveram votação. Por conta da facilidade no voto, com apenas três teclas necessárias para o registro - dois do número do candidato e o botão verde de confirma - o voto foi bastante rápido, não tendo grandes problemas registrados. 

Após a votação, que tem término às 17h no horário local de cada cidade (o Brasil tem fusos diferentes em algumas regiões), os eleitores logo procuram saber quem vencerá a competição.

Publicidade
Publicidade

A apuração dos votos no segundo turno costuma ser mais rápida e, ao mesmo tempo, emocionante. Por não ser necessário separar os votos dos vereadores, como aconteceu no primeiro turno, o registro tecnológico é realmente surpreendente. Sabendo da importância do momento e do interesse dos eleitores, o Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, disponibiliza algumas formas de acompanhar a apuração em tempo real, tudo sendo realizado ao vivo. 

Saiba mais sobre como usar os recursos para apurarem ao vivo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esclarece que os aplicativos disponibilizados são gratuitos e podem ser baixados pelo Google Play. Os principais aplicativos são 'Resultados', '#Eleições 2016' e 'Boletim na Mão'. Eles se juntam a outros oito tipos de programas, que podem ser baixados em smartphones, sendo aceitos os sistemas Android e IOS.

Publicidade

No aplicativo 'Resultados', por exemplo, as atualizações já começam exatamente às 17h01, quando o balanço de urnas utilizadas e quebradas será dado. Deve demorar ainda alguns minutos para que os números sejam revelados. E aí, está esperando o quê para acompanhar a "festa da Democracia"?