Em um dia de clima tenso entre os parlamentares da Câmara Municipal de Vereadores de Sapucaia do Sul, que fica na região metropolitana de Porto Alegre, dois vereadores saíram no soco durante uma discussão.

O desentendimento começou quando o vereador, Thiago Batista (PSDC-RS), realizava o seu discurso e referiu-se ao ex-prefeito da cidade, Marcelo Machado (PSB-RS), como um ‘quadrilheiro’, uma vez que, segundo a fala do parlamentar, o político tem o costume de chamar todo mundo de bandido, mas ele é o único que foi condenado por fraudar licitações. O partido do ex-prefeito também integrou a opinião do político sobre os ‘quadrilheiros’.

Publicidade
Publicidade

Após a declaração, o vereador Marquinhos (PSB-RS), mesmo partido do ex-prefeito, reclamou da opinião do colega e se opôs a ele. Nesse momento, Thiago se levantou irritado e reclamando. Houve pessoas pedindo que ele se acalmasse, mas o vereador deu com os braços e se dirigiu até a mesa do opositor.

Ao se aproximar, o vereador agrediu Marquinhos com um soco, que logo revidou e os dois continuaram se agredindo por alguns segundos, até que várias pessoas se juntaram para separá-los. As imagens da briga logo viralizaram na internet.

Nenhum dos dois políticos fizeram uma declaração oficial após a agressão que ocorreu na Câmara Municipal nessa terça-feira, 18. Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara informou que o comportamento dos parlamentares será analisado internamente pela Comissão de Ética da Casa.

Publicidade

Assista agora ao vídeo que já viralizou na internet:

 

Apesar de chocar algumas pessoas, agressões entre parlamentares é comum não só no Brasil, mas também no exterior. Um caso de quase agressão e que aconteceu no Brasil recentemente, teve dois nomes conhecidos envolvidos: Lindbergh Farias (PT) e Ronaldo Caiado (DEM). Na ocasião, Gleisi Hoffmann protagonizou um dos momentos mais lamentados pela mídia durante o julgamento do impeachment de Dilma Rousseff. A senadora disse que ninguém tinha moral para julgar a ex-presidente, gritando com os colegas e colocando em dúvida a integridade e boa fé de todos os 81 senadores da Casa.

Logo que isso aconteceu, o senador Ronaldo Caiado gritou que ele não era assaltante de aposentados, em referência ao marido da senadora que foi preso em operação da Polícia Federal. Lindbergh interveio e os dois quase se agrediram fisicamente, sendo contidos por outras pessoas. Os dois se agrediram verbalmente, quando Caiado, em resposta aos gritos de Lindbergh, sugeriu que ele fizesse um antidoping e parasse de ficar ‘cheirando’. Farias e outros parlamentares da esquerda chamaram o democrata de ‘canalha’. #Polêmica #Política #Congresso Nacional