No último domingo, dia 16, Jair #bolsonaro compartilhou um vídeo da jornalista Fátima Bernardo no Twitter com a seguinte frase: “#Fátima Bernardes, um depoimento com a verdade e a razão”.

No vídeo, a ex-mulher de Wiliam Bonner fala da importância do militarismo em sua vida, já que foi criada por um pai militar. A apresentadora teve uma criação tradicional no subúrbio carioca e antes de ser a estrela do "Encontro", foi âncora do principal jornal do país, o Jornal Nacional, durante 14 anos.

Ela dividia a apresentação do noticiário com o seu ex-marido. Eles se separaram recentemente.

Assista ao vídeo compartilhado por Bolsonaro:

A gravação faz parte de uma entrevista feita no ano passado, no Comando Militar do Leste.

Publicidade
Publicidade

Na época, Fátima palestrou no curso de extensão "Cultural da Mulher", promovido pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (ESAO).

De acordo com o site da instituição, o curso tinha o objetivo de "integrar a família militar com foco nas esposas de militares e no público feminino da Vila Militar". O pai de Fátima, o Suboficial da Força Aérea Brasileira Amâncio da Costa Bernardes, compareceu ao evento e prestigiou a filha na plateia. 

Deputado recebeu críticas

Os seguidores e fãs de Bolsonaro não perdoaram o fato do deputado defender a apresentadora. "O senhor é um vendido”, disse um internauta. “Hoje ela é esquerdista, capitão”, disparou outro. "Tudo cai em contradição com o programa que ela apresenta”, afirmou um terceiro.

Recentemente, o pai de Flávio Bolsonaro se envolveu numa pequena confusão com os seus seguidores.

Publicidade

O deputado inicialmente se voltou contra a PEC 241, mas no Congresso votou a favor da emenda constitucional que cria um teto para os gastos públicos.

Ele explicou por que votou sim à PEC 241 através de um vídeo postado em seu Facebook e, mesmo assim, não foi perdoado pela suposta contradição. A atitude do político, de qualquer forma, irritou os seus eleitores. Na ocasião, Bolsonaro recebeu inúmeras críticas em sua página e não se pronunciou sobre os ataques ao seu voto. #Política