Neste domingo, 02, aconteceram as #Eleições municipais em todo o país. Os perfis de eleitores são diferentes, o estilo dos candidatos também. Teve muita gente que, mesmo famosa ou investindo alto na candidatura não conseguiu vencer. Enquanto outras, conhecidas por não terem muito cacife, sagraram-se vitoriosas. Foi o que aconteceu na cidade de Assis, no estado de São Paulo. O município fica a mais de 400 quilômetros da capital paulista e elegeu um vereador inusitado, um catador de material recicláveis. O homem, que ganha a vida usando o que, para muitas pessoas, é lixo conseguiu chegar à Câmara Municipal. 

O candidato usou nas urnas o seu apelido, 'Nilson do Cachorro'.

Publicidade
Publicidade

Ele ganhou esse nome porque anda acompanhado de um animal por onde passa. Os moradores da região conhecem bem seu Nilson, que, quase todos os dias, anda pelo município atrás de materiais como papelão. Ele junta tudo e depois revende o material em uma espécie de ferro velho. O homem simples se candidatou pelo partido com mais votos no Brasil, o PMDB. A candidatura foi positiva para a legenda, já que o homem teve 1.275 votos. Ele foi o terceiro mais votado da região. 

O homem já está chegando na fase da aposentadoria. Ele completará 63 anos no final desse mês e teve chance apenas de pouco estudo. Nilson tem apenas  o ensino fundamental completo. Ele revela que a grande quantidade de votos foi uma surpresa, já que esperava ter entre 700 e 800 votos. Na pauta para chegar à Câmara do município, o político teve os animais abandonados.

Publicidade

O vice-prefeito da cidade, que se elegeu nas eleições, Márcio, o teria incentivado a se candidatar. Ele é veterinário.

O principal objetivo do vereador é criar uma área ou usar uma área que já seja da prefeitura e que não esteja sendo usada, para levar os animais que ficam nas ruas. No local, esses animais seriam vacinados e receberia todos os cuidados necessários. Em seguida, eles seriam encaminhados para a adoção, chegando às famílias da cidade. O caso pode ser visto como de saúde pública, já que os  animais podem transmitir doenças.