Na reta final das eleições, os candidatos fazem de tudo para não perder nenhum voto e sagrar-se vencedores. Na última sexta-feira, 30, os filhos do ex-deputado federal Rubens Furlan, Felipe e Rubens Filho, impediram que o jornal ATB-News fosse distribuído pela cidade de Barueri, onde o político tem governado com seus aliados a mais de 30 anos.

A informação foi divulgada pela própria ATB (Associação Transparência Barueri), ocasião em que disponibilizaram o boletim de ocorrência na internet para comprovação das alegações, gerando grande repercussão em grupos e páginas do Facebook. Os advogados de ambas as partes estavam presentes no plantão, conforme o próprio boletim informa.

Publicidade
Publicidade

A Kombi da ATB realizava a distribuição dos jornais por bairros do município e possuía oito matérias voltadas para a política da cidade. Segundo a associação, Felipe Furlan fechou a Kombi do jornal, e, em seguida, ele e seu irmão, Rubens Furlan Filho, chamaram a guarda municipal, alegando que estavam distribuindo material difamatório sobre o seu pai.

Embora tenha ocorrido a apreensão de mil e quinhentos exemplares, vários moradores conseguiram obter um exemplar e elogiaram a coragem da associação em divulgar fatos sobre o político. Abaixo segue a publicação original em que a associação informou o que tinha acontecido.

Outras polêmicas envolvendo o político

Há alguns anos, Rubens Furlan virou assunto em todo o país, após o programa CQC – Custe o que Custar, realizar o quadro "Proteste Já" na cidade.

Publicidade

Uma televisão foi doada para uma escola municipal, mas o item nunca foi utilizado pelos alunos, pois foi desviado para a casa de funcionários da prefeitura.

O programa procurou Furlan para saber sua opinião sobre o ocorrido, e ele hostilizou o apresentador Danilo Gentili (hoje no SBT) e Marcelo Tas, afirmando, inúmeras vezes, que eles eram pessoas sem talento e babacas, por terem feito a matéria sobre o ocorrido. O vídeo logo se tornou viral em todo o Brasil, principalmente porque o prefeito, através de sua assessoria jurídica, pediu a censura do programa, de forma que a gravação não pode ir ao ar no dia pretendido, pois Rubens conseguiu o deferimento de seu pedido.

Uma semana depois, a decisão foi derrubada por dois desembargadores que repudiaram a decisão, devido a mesma ferir o direito à liberdade de expressão.

Furlan teve seus direitos políticos cassados por oito anos em 2013, quando a Câmara Municipal de Barueri rejeitou suas contas públicas. Dois anos mais tarde, voltou a ser cassado em decisão da justiça eleitoral por abuso de poder econômico durante a campanha de seu candidato a prefeito, na época seu vice, Carlos Zicardi.

Publicidade

Em junho desse ano, conseguiu a revogação da decisão da justiça eleitoral e os políticos que eram seus "opositores", aprovaram a anulação da sessão que cassou seus direitos políticos, permitindo que ele disputasse as #Eleições de 2016. Através do seu partido, PSDB, Furlan se coligou com outras 23 siglas, incluindo a de seus antigos opositores e do Partido Comunista do Brasil, conforme é possível verificar no site do TSE, na coligação "Novo Tempo". #Polêmica #Eleições 2016