Se as eleições fossem um jogo de futebol, esses cinco nomes abaixo teriam saído vaiados de campo. O desempenho ficou abaixo do esperado e as urnas demonstraram, a eles, uma dura realidade. Se nomes como João Doria, do PSDB, em São Paulo, e Marcelo Crivella, do PRB, no Rio de Janeiro, corroboraram os levantamentos das pesquisas, os mesmos elogios não podem ser feitos aos cinco nomes que listaremos abaixo.

Jandira Feghali: Deputada federal pelo PCdoB do Rio de Janeiro, Jandira Feghali foi uma das vozes fortes em defesa de Dilma Rousseff quando o processo de impeachment correu na Câmara. Tamanha dedicação na luta pela ex-presidente transformou Jandira em uma personagem conhecida da política brasileira, mas ela não conseguiu traduzir isso em votos para a sua candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Ela acabou sendo somente a sétima colocada, com 3,34% dos votos.

Pedro Paulo: Candidato da situação à prefeitura do Rio, Pedro Paulo não aproveitou o maior tempo de televisão e não cativou os seus eleitores. A demonstração de pouca força política do peemedebista abriu espaço para Marcelo Crivella, do PRB, e Marcelo Freixo, do PSOL, tomarem a posição na liderança. Juntos, eles farão o segundo turno no dia 30 de outubro.

Luciana Genro: Em Porto Alegre, a principal líder do PSOL em nível nacional voltou a decepcionar em uma eleição majoritária. Ela foi somente a quinta colocada na corrida à prefeitura de Porto Alegre com 12,06%. Em 2014, Genro participou do pleito presidencial e travou debates intensos com Aécio Neves e Marina Silva.

#Celso Russomanno: Não foi dessa vez que o deputado federal Celso Russomanno conseguiu se eleger prefeito de São Paulo.

Publicidade

O roteiro foi bem semelhante ao de quatro anos atrás, quando ele ia bem em grande parte das pesquisas. Assim como em 2012, ele ficou de fora do segundo turno, que nem haverá na capital paulista, já que João Dória, do PSDB, somou 53,29% dos votos válidos.

#Marta Suplicy: Ex-prefeita de São Paulo pelo PT e ministra de Dilma Rousseff, Marta fez mera figuração nas eleições de São Paulo. Pelo seu novo partido, o PMDB, ela foi apenas a quarta colocada com 10,14% da preferência do público.

#Eleições 2016