O peemedebista #Eduardo Cunha acaba de ser preso na capital federal, Brasília. A informação foi dada em primeira mão pela rede de TV a cabo, Globonews (Grupo Globo). O pedido de prisão feito pelo juiz à frente da Lava Jato, Sérgio Moro, é de prisão preventiva, ou seja, por tempo indeterminado, para evitar que Cunha tente fugir do país e escapar das acusações.  A prisão de Cunha vem após o político exercer mais de 25 anos de trajetória na política tupiniquim. Após a prisão, o peemedebista está sendo levado a Curitiba, a previsão é que Cunha chegue a capital paranaense por volta das 18 horas.

O juiz federal paranaense, Sérgio Moro, comandante da Operação #Lava Jato na primeira instância da Justiça brasileira, determinou na última terça-feira (dia 17) a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha PMDB/RJ (Partido do Movimento Democrático Brasileiro), porém, a prisão só foi efetivada agora pela tarde pela Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Segundo o jornal Folha de São Paulo, além da prisão, uma das casas de Eduardo Cunha (PMDB) na cidade do Rio de Janeiro também foram alvo de buscas pela Polícia Federal.

Cunha é acusado de receber mais de R$ 5 milhões de reais de propina que o mesmo manteve em contas na Suíça, segundo as investigações da Lava Jato, esse dinheiro vem de propinas desviadas da Petrobras no Norte da África.

O Supremo Tribunal Federal (STF) havia aceitado a denúncia feita por Moro, porém, o parlamentar havia perdido o foro privilegiado quando seu mandato foi cassado, o que lhe garantia regalias, como, por exemplo, sair das mãos do juiz Sérgio Moro e somente ser julgado pelo Supremo. Agora Cunha é réu e foi preso pelo já dominado herói da nação, Sérgio Moro – que vem fazendo um trabalho espetacular à frente da maior operação contra a corrupção que o Brasil já presenciou: a Lava Jato.

Publicidade

Moro enviou um despacho com a denúncia da prisão de Cunha e fez questão de explicar o porquê de ter retirado uma das denúncias: a de crime eleitoral que supostamente Cunha também tenha cometido. Segundo Moro, crimes eleitorais não estão na sua jurisdição, e isso tem de ser investigado pela Justiça Eleitoral. #Sergio Moro