O juiz federal responsável pela Lava Jato, Sérgio Moro, nesta quinta-feira (13), deu o prazo de até 10 dias para que o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se defenda das acusações de ter contas na Suíça abastecidas por dinheiro de propinas advindas da Petrobras.

A ação penal em que Cunha responde por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão fiscal já havia sido aberta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em junho, porém, só nesta quinta, após o ex-deputado ter sido cassado e perdido seu foro privilegiado, a ação chegou as mãos de Sérgio Moro. Oficialmente, agora, o peemedebista será julgado pelo juiz da #Lava Jato.

Além de Cunha, sua esposa, Claudia Cruz, e uma de suas filhas, Daniele da Cunha, também são investigadas na Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Elas são acusadas de lavagem de dinheiro e evasão de divisas de US$ 1 milhão, valor que veio de crimes cometidos por Cunha e que foram gastos pela família no exterior.

A defesa do ex-deputado ainda não se manifestou sobre a decisão de Moro e o curto prazo para se defender. #Eduardo Cunha #Dentro da política