Neste domingo, 02, aconteceram as votações para prefeitos e vereadores em todo o território brasileiro. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais de 140 milhões de pessoas decidiram realizar o seu voto. Quem também não deixou de comparecer às urnas foi a ex-presidente #Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (#PT). Ela foi até à escola Santos Dumont, na Zona Sul do Rio Grande do Sul, para realizar o seu voto. Enquanto a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentava chegar à seção eleitoral, ela cansou enorme confusão no local, que acabou sendo controlado depois de alguns minutos. 

A ex-presidente, que lutou contra um processo de impeachment, foi questionada pelos jornalistas sobre tudo o que aconteceu.

Publicidade
Publicidade

A confusão foi criada porque enquanto os repórteres tentavam registrar a presença da petista na hora de votar, a Brigada Militar queria impedir o trabalho dos profissionais da mídia. De acordo com uma reportagem do portal de notícias G1, a orientação para tal coisa foi feita pelo juiz eleitoral Niwton Carpes da Silva, que teria impedido que o voto de Rousseff fosse registrado. Nenhum repórter foi autorizado a entrar na seção eleitoral. 

"Foi um absurdo impedir a imprensa de chegar aqui (...) Isso é muito ruim para o país, nunca houve esse tipo de coisa", contou a ex-presidente, que desde o dia 31 de agosto está fora do cargo, que foi assumido por Michel Temer, do PMDB. Ela ainda definiu a situação como "lamentável". Ainda cedo, muitos apoiadores de Rousseff estiveram no local e fizeram uma espécie de reunião em frente à escola onde a política realizou os votos para prefeito e vereador de Porto Alegre.

Publicidade

Eles gritavam expressões como "Dilma guerrilheira" e "Fora Temer". Ela chegou a receber flores dos aliados. 

Também neste domingo, mas em outra parte do Brasil, na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo, quem registrou o seu voto foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele disse que o PT é a legenda mais amada dos brasileiros, mas foi hostilizado.  #Eleições