De acordo com levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU), baseando-se em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um beneficiário do Programa Bolsa Família fez uma doação de R$ 75 milhões para a campanha eleitoral de um candidato. As identidades dos envolvidos não foram divulgadas.

Nestas eleições foram arrecadados R$ 2,23 bilhões por partidos e candidatos, mas segundo levantamento, R$ 1,41 bilhão das receitas e despesas das campanhas eleitorais mostra possíveis irregularidades, o que representa mais da metade da arrecadação.

São várias as suspeitas no que se refere às doações, entre elas uma feita por pessoa que não tinha renda compatível, no valor de R$ 50 milhões, e a de um prefeito que doou R$ 60 milhões para o seu diretório municipal.

Publicidade
Publicidade

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), constam entre os doadores, 290 falecidos. Outros casos, como uma agência de publicidade com apenas dois funcionários, e outra empresa de produção que tem entre seus sócios um beneficiário do Bolsa Família, receberam R$ 3,57 milhões. Doadores cadastrados nesse Programa estão na mira do Tribunal de Contas da União (TCU), pois foram mais de 22 mil casos suspeitos, somando R$ 21 milhões, repassados até por pessoas já falecidas.

O último balanço feito pelo Tribunal mostra mais de 150 mil casos de doações suspeitas, movimentando R$ 500 milhões. Novas formas de driblar a lei apareceram com o fim do financiamento empresarial. No total, foram quase 32 mil casos de funcionários de uma mesma empresa que doaram para um mesmo candidato ou partido.

Numa cidade do interior de Goiás, uma mulher sozinha doou R$ 19 milhões para quase 2 mil candidatos a vereador, levantando inclusive a suspeita de lavagem de dinheiro.

Publicidade

Por lei as doações de pessoas físicas devem se limitar a 10% de sua renda do ano anterior, e acima desse valor pode gerar multa de cinco vezes a quantia do total em excesso.

O TSE suspeita que esses repasses acima do limite legal sirvam apenas para camuflar outro tipo de doação. Todos os casos foram encaminhados ao Ministério Público Eleitoral e os que envolvem beneficiários do Programa Bolsa Família compartilhados com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. #Política #Bolsa Familia #Eleições 2016