Já está decretado o bloqueio de mais de R$ 220 milhões de #Eduardo Cunha. A Justiça Federal do Paraná determinou na tarde desta quarta-feira (19), que os bens do ex-deputado ficassem indisponíveis. Eduardo Cunha foi preso na tarde de hoje em Brasília, por determinação do juiz federal Sérgio Moro.

E tem uma outra frente de investigação querendo que seja determinada ação de improbidade contra Cunha, sendo que esse processo não teria caráter penal, mas pode trazer duras penalidades, como a perda dos direitos políticos e até pagamento de multa, entre outros.

O STF (Supremo Tribunal Federal) é que vinha investigando o peemedebista a respeito de contas mantidas por ele na Suíça, as quais ele conseguia abastecer graças às propinas vindas da Petrobras.

Publicidade
Publicidade

O ex-deputado foi cassado pela Câmara e já não tem mais foro privilegiado e, assim, os autos foram todos encaminhados para a 13ª Vara de Curitiba, pois é lá que se encontra a base da Operação #Lava Jato. Nesta última segunda-feira (17), o juiz Sérgio Moro intimou Eduardo Cunha a fazer sua defesa prévia. A ação penal dá conta de que o peemedebista teria US$ 5 milhões em suas contas que são mantidas secretamente na Suíça.

Cláudia, mulher de Cunha, é outra que está sendo acusada na Lava Jato. A indicação é de que um valor acima de US$ 1 milhão, vindo de propina da Petrobras, foram investidos em compras de luxo por ela, na Europa. Os investigadores descobriram que Cláudia comprou bolsas e sapatos de grifes caríssimas, além de roupas que custam uma fortuna. O dinheiro foi gasto em lojas luxuosas na Itália, França e vários outros países da Europa.

Publicidade

O deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE) declarou que a prisão de Cunha significa o fim do presidente Temer. Costa foi a favor de Cunha fazer uma delação premiada, na qual seriam revelados importantes detalhes que levariam à prisão de muitos outros nomes, inclusive alguns ligados à política. O deputado ainda ironizou o fato de que muitos políticos estariam com medo: "Muitos deputados vão aumentar o uso de Lexotan". #Sergio Moro