O famoso empresário Mariano Marcondes, marido da atriz Luiza Valdetaro, foi algemado e preso no Aeroporto Internacional de Guarulhos, São Paulo, nesta quarta-feira (26). Ele foi acusado de receber propina de aproximadamente 800 mil dólares em mais um caso da #Lava Jato.

Mariano será encaminhado para Curitiba onde se localiza a carceragem da corporação, em ordem concebida pela Policia Federal. O encaminhamento está previsto para quinta-feira (27).

O mandato de prisão novamente envolve o grande juiz federal Sérgio Moro, que vem se destacando a cada dia e conquistando espaço e público. Moro, que é responsável pela Lava Jato, decidiu a ordem de prisão como preventiva (por um tempo indeterminado).

Publicidade
Publicidade

Lavagem de dinheiro

Segundo informações declaradas pelo Ministério Público Federal (MPF), tudo indica que Mariano Marcondes Ferraz tenha cometido crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.

Foram pagas vantagens indevidas nos anos de 2011 a 2013, no valor estimado de 800 mil dólares, de acordo com o Ministério Público Federal. O valor foi pago ao ex-diretor de abastecimento da estatal, Paulo Roberto. Toda a quantia está relacionada a contratos com a Petrobras. 

O juiz Sérgio Moro afirmou também que Paulo Roberto recebia propina durante todo o seu mandato de diretor como também após isso, em pagamentos previamente acertados. O dinheiro foi enviado via depósitos em offshore (empresa que tem a sua contabilidade num país distinto) mantida por genros de Paulo. Atualmente, Paulo cumpre pena em regime aberto devido à condenação pela Lava Jato no passado.

Publicidade

Em depoimento, Paulo Roberto Costa afirmou ter recebido propina de Mariano Marcondes Ferraz por contratos firmados com a estatal. Foi confirmado também, por meio de outras investigações, que a propina foi recebida diversas vezes, até 2014, ultrapassando a data que o MPF divulgou.

O advogado do empresário, Adriano Sérgio Nunes Bretas, disse que ainda está tomando conhecimento da decisão que levou à prisão de Paulo Roberto e que vai resolver a situação. #Sergio Moro #Política