Fernanda Izabel da Costa (PP-RJ), filha de um dos maiores traficantes da América Latina, Fernandinho Beira-Mar, não conseguiu se eleger como vereadora de #Duque de Caxias, terminando o pleito em 33º lugar.

Fernanda é dentista no Rio de Janeiro e tinha planos de mudar a cidade e trabalhar para a comunidade carente, mas obteve 3.098 votos. Por quantidade, ela estaria eleita, já que o último colocado que conseguiu uma vaga, teve 2.247 votos, entretanto, devido as coligações e legendas, a dentista terá de esperar a próxima eleição para tentar conquistar uma vaga na Câmara Municipal.

A dentista foi apoiada pelo deputado estadual, Zito dos Santos (PP-RJ), que também foi candidato a prefeito da cidade.

Publicidade
Publicidade

No resultado final, Zito ficou em quarto lugar da preferência do eleitorado, obtendo pouco mais de 84 mil votos. O segundo turno será decidido entre Washington Reis, do PMDB e Dica, do PTN. Fernanda não se pronunciou sobre a derrota.

Condenação de Beira-Mar

Seu pai, Fernandinho Beira-Mar, continua cumprindo pena no presídio federal de Mossoró, que fica no Rio Grande do Norte. Investigações recentes concluíram que ele ainda controla o tráfico de drogas de dentro da cadeia. Seu nome ainda é reconhecido entre criminosos do Brasil e de países vizinhos e aqueles que eram seus aliados, continuam atuando na criminalidade. Acredita-se que pelo poder aquisitivo e influência que adquiriu no crime, tenha pessoas trabalhando para ele fora do presídio.

Beira-Mar foi condenado a 120 anos de prisão pela participação no assassinato de quatro detentos, durante uma rebelião que aconteceu no Presídio de Bangú, em 2002.

Publicidade

Sua defesa recorreu da sentença no ano passado, mas a justiça manteve a condenação. Somando-se as condenações por tráfico de drogas, homicídios, formação de quadrilha, e os crimes no Bangú, o detento está condenado a mais de 320 anos. Mesmo com o período para revisão de sentença, é pouco provável que um dia, o traficante consiga obter liberdade, ainda que condicional, devido sua alta periculosidade. #Eleições #Eleições 2016