Um dia após a consumação das eleições municipais em todo o Brasil, um grupo de intelectuais, decide divulgar uma "Carta aberta a todos os membros da Rede Sustentabilidade". O partido possui como figura de destaque, a ex-candidata à Presidência da República, #Marina Silva. O teor da Carta é altamente crítico aos passos dados pela Rede. O grupo anunciou na divulgação do documento, a sua desfiliação dos quadros da agremiação. Historicamente, a Rede é um dos mais novos partidos criados no Brasil. Foi formalizado no ano de 2015 e é comandado politicamente pela ex-senadora do estado do Acre, Marina Silva. O principal objetivo, durante a criação da Rede, é que o partido pudesse angariar promessas de renovação política.

Publicidade
Publicidade

Críticas à Marina

O grupo de intelectuais que se desfiliou da Rede, é composto pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares, além de nomes como, Miriam krenziger, Marcos Rolim, Liszt Vieira, Carla Rodrigues Duarte, Tite Borges e Sonia Bernardes. Eles argumentam, através da Carta, que a Rede Sustentabilidade, se estruturou sobre um verdadeiro vazio de posicionamentos políticos. Os intelectuais acreditam que, inicialmente, são fatores devidos à falta de estrutura partidária e até mesmo, à possível inexperiência dos membros da agremiação. Segundo os críticos, Marina Silva, possui características de ser uma "liderança política com virtudes excepcionais", porém, ao mesmo tempo, a ex-senadora "tem limites relevantes", e não lidera o partido da Rede, conforme haja a necessidade para que a sigla seja capaz de assumir definições políticas consistentes.

Publicidade

Ao invés disso, Marina prefere navegar em meio a uma verdadeira sucessão de ambiguidades, segundo o documento divulgado pelo grupo de intelectuais. As críticas foram ainda mais contundentes, quando afirmam que "a Rede Sustentabilidade tem se construído, a partir de uma legião de pessoas com boa vontade, porém, sem nenhum rumo", declaram os intelectuais enfaticamente. O grupo também sugere que "a Rede permitiu que muitos oportunistas e também políticos de direita, identificassem no partido um terreno fértil para seus projetos de caráter particular", segundo a Carta. Por fim os intelectuais, recém-desfiliados da Rede, afirmam ser contrários à decisão de Marina Silva, em apoiar o #Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. #Eleições 2016