#Janaína Paschoal é uma advogada brasileira que ficou conhecida por conta do impeachment da ex-presidente da república Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT). Além de trabalhar na acusação da petista, a jurista ganhou as manchetes pelo seu jeito incisivo. Nesta semana, no entanto, publicações feitas por Janaína na internet ganharam repercussão nacional. Isso porque a mulher que também é professora da USP fez uma revelação chocante para muitos, a de que um país estaria prestes a entrar em guerra com o Brasil. 

De acordo com Janaína, a Rússia, governada por Putin, teria sérios interesses em atacar nosso território e que isso aconteceria em breve. Curiosamente, as alegações foram feitas na mesma data em que a Rússia lançou uma nova arma de guerra, a 'Satã 2'.

Publicidade
Publicidade

Falaremos mais sobre ela ainda nessa reportagem. No Twitter, Paschoal ainda deu os motivos para que a Rússia tomasse tal medida. Ela contou que o país estaria a construir uma base militar na Venezuela, aproximando-se assim de nosso território. Ela ainda brincou com a idade do presidente russo, 60 anos, dizendo que mesmo sendo idoso, em termos de #Política, ele seria "um adolescente imperialista". 

"Com uma base militar na Venezuela, Putin está a um passo de atacar o Brasil. Estão rindo?", escreveu a jurista, que chegou a ser ameaçada durante o processo de impeachment. Janaína disse que estava falando sério e que por mais que as pessoas não tivessem dado crédito para ela, isso era bem típico da Rússia. Ela ainda contou que, mesmo podendo ficar com uma imagem ruim - de "burra" - não ficaria calada diante de tamanha ameaça ao território brasileiro.

Publicidade

Não é a primeira vez que Paschoal faz alegações envolvendo outros países. Ela já havia criticado, por exemplo, a Venezuela em algumas oportunidades. 

Nesta quarta-feira, 26, de acordo com a Veja, a Rússia lançou um míssil que tem a capacidade de percorrer cerca de 11 mil toneladas. A arma é tão grande que chega a pesar 100 mil quilos. A distância percorrida pela nova ogiva é maior, por exemplo, do que o espaço entre o Rio de Janeiro e a cidade de Orlando, na Flórida, nos Estados Unidos. O míssil seria capaz de ir de uma ponta a outra do território brasileiro. Ele está sendo chamado de 'Satã 2', devido ao seu alto potencial destrutivo.