Conhecida por sua atuação fervorosa no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a advogada Janaína Paschoal voltou a causar polêmica. Nesta terça-feira, dia 25 de outubro, ela fez diversas postagens em sequência no seu perfil no Twitter, acusando Vladimir Putin, presidente da Rússia, de pretender invadir o Brasil.

Em seus tweets, Janaína explica porque sugeriu que o governo brasileiro apoiasse a oposição na Venezuela. Segundo ela, a construção de uma base russa na Venezuela deixa o Brasil mais vulnerável, pois Putin estaria a um passo de atacar nosso país. A advogada sugere, portanto, que o governo brasileiro assuma uma posição firme de defesa com relação a essa questão.

Publicidade
Publicidade

Confira as postagens de Janaína Paschoal em seu Twitter:

As postagens da advogada geraram grande repercussão entre os internautas.

Publicidade

Muitos ridicularizaram suas afirmações, fazendo piadas e memes com o assunto. Confira algumas das reações na internet:

Após ver a dimensão que os suas declarações ganharam, Janaína novamente usou sua conta no Twitter para comentar as reações das pessoas, dizendo que mesmo se ela tivesse "planejado aparecer, não teria sido tão bem sucedida". Agradeceu aos que a "amam e odeiam" e aos "blogs petistas" por ajudarem a divulgar o seu nome.

Publicidade

Acrescentou ainda que parte da mídia tentou distorcer o que ela disse e fazê-la passar por "burra" para que se calasse. Sobre os internautas que fizeram piadas sobre seus comentários, ela os desafiou a encontrar alguma outra razão para a criação de uma base russa na Venezuela que não seja atacar o Brasil.

Janaína Conceição Paschoal foi co-autora da denúncia que desencadeou o impeachment de Dilma Rousseff por parte do Congresso Nacional. Além de advogada, ela é professora da Universidade de São Paulo, sendo Doutora em Direito Penal pela mesma instituição. Possui os seguintes livros publicados: Direito penal: parte geral (2003), Constituição, criminalização e direito penal mínimo (2003), Mulher e Direito Penal (organizadora, em parceria com Miguel Reale Júnior - 2007), Ingerência Indevida: os crimes comissivos por omissão e o controle pela punição do não fazer (2011), Homenagem a Miguel Reale Júnior (organizadora, juntamente a Melo Jorge Silveira - 2014). #Política #Vladimir Putin #Relações Exteriores