O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados pode suspender o mandato do deputado federal #Jean Wyllys, eleito pelo PSOL do Rio de Janeiro. O representante da esquerda brasileira responde por quebra de decoro parlamentar contra o político. Tudo isso porque Jean acabou cuspindo no seu rival durante a sessão do impeachment, Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro. Enquanto a votação acontecia no plenário da casa, os dois se desentendiam. Na época, Wyllys disse que Bolsonaro fez comentários homofóbicos para ele e, que, por isso, ele agiu com tamanha agressividade. Já Jair nega que tenha dito qualquer coisa. Vídeos chegaram a flagrar o filho de Bolsonaro, Flávio, também cuspindo em Jean após ele atacar seu pai.

Publicidade
Publicidade

Nesta terça, 04, segundo informações do site da Revista Veja, acabaram sendo sorteados três candidatos para relatar o processo. São eles Ricardo Izar (PP-SP), Zé Geraldo (PT-PA) e Leo de Brito (PT-AC). Um dos três será escolhido pelo deputado José Carlos Araújo, que vem a ser presidente do colegiado. A matéria diz que ao todo seis representações  foram feitas contra Jean. Elas foram enviadas à corregedoria da Câmara dos deputados. Entre elas, duas foram elaboradas pelo ex-ator de filmes pornográficos, Alexandre Frota. 

O primeiro passo, que pode levar até a cassação do mandato de Jean, já foi dado. Ele coloca  mesa diretora do plenário encaminhando os pedidos, que pedem que, pelo menos, o mandato de Wyllys seja suspenso por seis meses. Processo parecido teve Eduardo Cunha, do PMDB, mas, no caso dele, a cassação foi definitiva e após uma votação de toda a casa. Caberá  agora ao Conselho de Ética da câmara arquivar ou dar continuidade à ação contra o representante do PSOL. 

Não é a primeira vez que Jean enfrenta uma ação desse tipo.

Publicidade

Em outubro do ano passado, outro deputado, João Rodrigues, do PSC de Santa Catarina, alegou que o parlamentar o ofendeu. Entre as ofensas ditas pelo ex-participante do 'Big Brother Brasil' esteve a de roubo de dinheiro. Esse processo contra Wyllys acabou sendo arquivado.  #Política