Após uma enorme abstenção que gerou a vitória de Fernando Haddad em 2012, a maior parte dos paulistas e paulistanos decidiram votar nesse domingo, 2. João Doria, colocado em terceiro lugar na maior parte das pesquisas de institutos, venceu o pleito político com mais de 50% dos votos e eliminou a possibilidade de segundo turno.

Doria destacou-se entre os adversários por sua facilidade em falar nos debates. Logo que começou sua campanha, avisou que iria diminuir o número de secretarias no município para reduzir gastos públicos, dentre elas, a dos direitos LGBT, um dos carros chefes da campanha de Haddad. Doria também declarou, mais de uma vez, que aceitaria ser prefeito sem salário, pois já é bem sucedido como empresário e não quer a prefeitura por dinheiro, mas sim por vontade de trabalhar pela sua cidade.

Publicidade
Publicidade

Jornalista consagrado e empresário de sucesso, não foi difícil o político superar seus algozes e crescer na preferência do eleitorado. A disputa, entretanto, não foi tão simples. Doria disputou com políticos já conhecidos e de vasta experiência politica, como Celso Russomanno, Marta Suplicy, Luiza Erundina e Fernando Haddad.

Doria teve a seu favor o fato de ser o preferido entre as classes mais ricas e pessoas com melhor instrução acadêmica, entretanto, engana-se quem pensa que as pessoas mais pobres escolheram candidatos que representam a esquerda brasileira. Reportagens na TV mostraram muitas famílias carentes que estavam insatisfeitas com a atual gestão de Haddad e que foram votar na intenção de mudar a cidade. A maior parte delas se dividiram entre Doria e Russomanno.

A vitória do político foi comemorada junto com sua equipe, amigos, familiares e militantes.

Publicidade

Pela internet, ele também usou as redes sociais para agradecer a confiança dos cidadãos de São Paulo, e prometeu fazer um governo para todos, e não um para pobres ou ricos, como muitos políticos costumam fazer.

A posse de Doria acontecerá no dia 1 de janeiro, na Câmara Municipal de São Paulo, no mesmo evento onde os vereadores eleitos e reeleitos também tomarão posse de seu mandato, válido pelos próximos quatro anos. #João Dória #Eleições #Eleições 2016