#Luciana Genro, apontada pelas pesquisas como uma das preferidas para ganhar a prefeitura de Porto Alegre, não conseguiu nem uma vaga para o segundo turno das eleições. Filiada e fundadora do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), Luciana fica, mais uma vez, de fora da carreira pública no próximo ano, não descartando a hipótese de se candidatar à presidência em 2018.

Nas primeiras pesquisas divulgadas, antes mesmo de ser autorizado o início da campanha eleitoral, Luciana figurava em primeiro lugar na disputa eleitoral. Nos últimos dados divulgados na sexta-feira, 30, ela já estava em quarto lugar.

Por volta das 20h do domingo de eleição, Luciana fez uma transmissão em sua página do Facebook, onde ela e seus aliados agradeceram o apoio dos militantes e afirmaram que continuarão na luta política.

Publicidade
Publicidade

A candidata ficou em quinto lugar com 86 mil votos. O segundo turno de Porto Alegre será decidido entre Nelson do PSDB e Sebastião do PMDB. O candidato do PT ao mesmo pleito, Raul, ficou em terceiro lugar com 117 mil votos.

Veja o pronunciamento oficial de Genro e sua equipe do PSOL:

 

Polêmicas envolvendo a candidata

Luciana já foi criticada na internet por suas contradições políticas. Ao mesmo tempo em que defende um socialismo diferente daquele que ceifou a vida de milhões de pessoas pelo mundo, Luciana apoiou a campanha política de Nicolás Maduro, um dos ditadores mais criticados da América Latina. Atualmente a Venezuela tem racionamento de comida, desemprego recorde e inflação alta. Muitos venezuelanos saem para comprar comida nas fronteiras com países vizinhos, incluindo o Brasil. Luciana nega ter apoiado a Venezuela, mas um vídeo com o seu discurso, em espanhol, está presente em diversos canais do Youtube e páginas do Facebook.

Publicidade

Outra polêmica envolvendo Luciana ocorreu ano passado, quando o filho do governador de São Paulo faleceu em um acidente de helicóptero. Luciana usou o Twitter para questionar por qual motivo as pessoas só lamentavam a perda de Alckmin e não faziam o mesmo por um menino que teria sido vítima de bala perdida naquela época. O assunto ganhou repercussão na mídia e Genro foi muito criticada pelo comentário. #Eleições #Eleições 2016