Nesta terça-feira, 4, o pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi negado pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido da defesa do presidente era para que fosse retirado das mãos do juiz Moro o processo contra Lula. O juiz Moro, de Curitiba, é responsável pelas investigações da Operação #Lava Jato, que também investiga Lula por receber vantagens indevidas durante seu governo.

Por mais que o pedido tenha sido negado, o ministro do Supremo, Teori Zavascki, criticou fortemente a força tarefa da Lava Jato. Para o ministro, está acontecendo uma “espetacularização midiática”, principalmente nas denúncias que foram apresentadas em setembro contra Lula.

Publicidade
Publicidade

Isto porque, no mês passado, foi apresentado pelo Ministério Público, um gráfico que apontava um esquema das possíveis irregularidades, onde o nome do ex-presidente Lula localizava-se no centro do esquema. O ministro Teori disse que essa apresentação não demostrou seriedade com as demandas do cargo, classificando o episódio de show midiático.

Teori lembra que aquela cena onde foram apresentadas as investigações contra Lula, que ocorreu em Curitiba e teve forte divulgação pela imprensa, não teve participação de Moro, mas sim do Ministério Público. Na apresentação, O MP deu a entender que estaria acusando formalmente Lula de chefe do esquema #Corrupção, contudo, o objeto de investigação não era o que foi apresentado, nem mesmo o objeto da denúncia foi ali apresentado. Tanto a denúncia quanto a apresentação foram coisas diferentes.

Publicidade

Isso é, na apresentação dos crimes contra o ex-presidente, que foi chamado de “comandante máximo de um esquema de corrupção”, caracterizavam-se como sendo corrupção ativa, mas o MP só ofereceu a denúncia da possível lavagem de dinheiro, ou seja, corrupção passiva.

Foi isso que o ministro chamou de episódio incompatível, pois a denúncia não foi oferecida, nem mesmo houve uma apuração séria dos fatos. A apresentação teria servido apenas como “espetáculo midiático”, segundo Teori.

Essa declaração do ministro foi dada durante a seção que julgava o pedido de Lula. O pedido foi rejeitado por quatro votos a zero, ou seja, as investigações sobre Lula continuam nas mãos de Moro. Mesmo assim, Teori achou relevante levantar a questão sobre como estava acontecendo as investigações. #Política