O Movimento (Fim dos carros de luxo bancado pelo povo para os políticos) que teve início nas redes sociais, no dia 7 de outubro, tem chamado a atenção dos políticos e está ganhando forças para ser discutido e votado no Plenário da #Câmara dos Deputados, em Brasília. Trata-se do corte de gastos desnecessários com carros de luxo, motorista particular, viagens pessoais e, até mesmo, combustível, tudo isso bancado pelo povo brasileiro através de impostos.

Como funciona ?

Através do site da câmara no link:  http://www2.camara.leg.br/participe/sua-proposta-pode-virar-lei, qualquer cidadão pode apresentar um projeto de lei à Câmara do Deputados para que a mesma seja votada, desde que a lei esteja assinada por, no mínimo, 1% das assinaturas de todo eleitorado nacional e não menos que cinco  Estados brasileiros, com 3/10% dos eleitores cada.

Publicidade
Publicidade

Entenda o Projeto!

A quais benefícios os parlamentares têm direito?

1 - Verba de gabinete

Os recursos da verba de gabinete são para contratação de pessoas para atuar, por exemplo, com cargos de secretários parlamentares. O deputado pode contratar até 25 funcionários, o salário mínimo do secretário é de R$ 845,00 e pode chegar a R$ 12.940,00, no total o valor da verba é  de R$ 92.053,20 ao mês.

2 - Cota Parlamentar

A cota inclui, aluguel de veículos, hospedagem, divulgação de atividade parlamentar, serviços postais, assinatura de TV a cabo ou similar, locação ou fretamento de embarcações, serviços de segurança, locação ou fretamento de aeronaves, aluguel de escritório, serviço telefônico, motorista particular, passagens aéreas (incluindo dos seus cônjuges) e auxílio moradia.

3 - Salário

O valor do salário de um deputado pode variar dependendo do estado, mas a média é de R$ 33.763,00.

O valor médio gasto mensalmente por cada deputado é de R$ 168.662,44.

O ministro Gilmar Mendes, presidente do (TSE) #Tribunal Superior Eleitoral, disse, em discurso, que a #Operação Lava Jato deve funcionar como estímulo para que o #Congresso Nacional faça uma reforma #Política imediata.

Publicidade

#Lava Jato